Com 3.728 mortes por Covid em 48h, Brasil tem o pior fim de semana da pandemia

Com 1.290 óbitos, este é o pior domingo desde o início da pandemia; foram 47.774 casos da doença registrados nas últimas 24 horas

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo
21 de março de 2021 às 19:42 | Atualizado 21 de março de 2021 às 20:09
Família enterra vítima de Covid-19 em cemitério da Vila Formosa, em São Paulo
Família enterra vítima de Covid-19 em cemitério da Vila Formosa, em São Paulo
Foto: Gettyimages

O Brasil registrou 1.290 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados neste domingo (21). Foram 47.774 novos casos da doença dentro do mesmo período.

Em meio a escalada de mortes e casos, este é o pior final de semana em número de mortes desde o início da pandemia - foram 3.728 óbitos por Covid-19 em 48 horas.

Com os dados divulgados, o país soma 294.042 mortes em decorrência da Covid-19 e 11.998.233 casos da doença.  Até então, o domingo mais letal da pandemia havia acontecido no dia 14, com 1.138 mortes.

Também neste domingo, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou ao colunista da CNN Igor Gadelha que o Brasil deve dobrar o número de vacinados contra a Covid-19 ao longo desta semana. 

Segundo ele, por orientação da pasta, os imunizantes estocados em secretarias de saúde serão usados para a primeira dose, o que deve acelerar o ritmo da vacinação no país. 

Neste domingo, mais de um milhão de doses do imunizante da AstraZeneca, adquiridos por meio do consórcio de vacinas Covaxin e importados da Coreia do Sul, chegaram ao Brasil. Esta foi a primeira remessa de mais de 42 milhões de doses do imunizante. 

Avião com primeiras doses do consórcio Covax
Avião com a primeira remessa de vacinas do consórcio Covax pousa em São Paulo neste domingo (21)
Foto: Ministério da Saúde

Segundo o cronograma do Ministério da Saúde, serão 575,9 milhões de doses até o final deste ano.