Comitê científico recomenda funcionamento apenas de atividades essenciais no Rio

Autoridades científicas recomendam a adoção da medida para diminuir a circulação de pessoas na capital fluminense, especialmente caso o "feriadão" seja aprovado

Isabelle Saleme e Thayana Araújo, da CNN, no Rio de Janeiro.
22 de março de 2021 às 14:00
Praia de Copacabana vista vazia neste sábado (20)
Praia de Copacabana vista vazia no sábado (20)
Foto: MICHEL FILHO/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

O comitê científico contra a Covid-19 orientou a prefeitura do Rio de Janeiro a manter apenas o funcionamento dos serviços essenciais durante o “feriadão” -- que deverá ser votado ainda essa semana por deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Ou seja, somente supermercados, farmácias, petshops, entre outras atividades poderiam ficar abertas.

Na opinião de especialistas que fazem parte do grupo, shoppings, salões de beleza, academias teriam que fechar as portas para que houvesse uma diminuição da mobilidade de pessoas nas ruas.

Segundo o infectologista Alberto Chebabo, membro do comitê, “o recomendado é o fechamento das atividades para que as pessoas fiquem em casa. Não queremos que aumente a circulação na cidade.” Ainda de acordo com ele, seria importante que todos os municípios da região metropolitana estivessem unidos para que houvesse maior efetividade das medidas. Chebabo informou que o prefeito Eduardo Paes deve acatar as recomendações durante o período de dez dias. 

"Na realidade, é fechar essas atividades na cidade do Rio de Janeiro. Restrição de movimentação, lockdown, feriado prolongado antecipado, seja qual for o termo utilizado. O importante é que as pessoas fiquem nas suas casas, reduzam movimentação para que a gente possa reduzir a transmissão do vírus neste momento", disse Chebabo.

Antes da reunião desta segunda-feira (22), o secretário municipal de saúde do Rio, Daniel Soranz, também havia garantido que todas as recomendações do comitê científico seriam cumpridas pela prefeitura. Soranz já não descartava a possibilidade de fechar todas as atividades não essenciais no período. 

O comitê também recomendou que ensino seja feito à distância, com escolas abertas apenas para a merenda, e que as medidas restritivas fossem ampliadas por mais dez dias. Ainda pela orientação de especialistas, as restrições na praia devem seguir por mais alguns dias. Todas as regras serão anunciadas na tarde desta segunda-feira (22), durante coletiva de imprensa dos prefeitos das duas cidades.

 "A gente teve um aumento importante procurando de atendimento nas unidades de saúde de pacientes com síndrome respiratória e síndrome gripal. O aumento muito grande de solicitação de internações, número recorde de pacientes em UTI. Os números mostram uma deterioração rápida da situação do atendimento e dos números e leitos", afirmou Chebabo. 

Durante a reunião, que contou com a participação por videoconferência do prefeito de Niterói, Axel Grael, e do comitê científico da cidade, Eduardo Paes defendeu mais uma vez que não concorda em manter todas as atividades econômicas funcionando durante o “feriadão” proposto para diminuir a transmissão do coronavírus.

Um dos membros do Comitê informou à CNN que a reunião foi muito produtiva e pacífica, mas explicou a importância de não ver os dias que virão como um “feriadão”: "Não encaramos como “superferiadão”, mas sim como uma semana de ampliação das restrições, valendo apenas com o serviço essencial em funcionamento. Quem fala em superferiado é o estado. Isso é agenda deles", resumiu.

A antecipação das comemorações de Tiradentes e São Jorge foi discutida durante o fim de semana com o governo do estado. Segundo apurou a CNN, o consenso é pela adoção do “superferiado” entre os dias 26 de março e 04 de abril, ou seja, depois da Semana Santa.

No entanto, houve divergências sobre quais atividades deveriam ser interrompidas no período. O governador em exercício Cláudio Castro defende que não há necessidade de fechar todos os setores da economia. Ele teria, inclusive, costurado um acordo com representantes do setor produtivo para que não houvesse paralisação das atividades durante o feriado.

Durante a semana passada, o prefeito Eduardo Paes chegou a comentar sobre a necessidade de medidas em conjunto entre todo Estado ou, pelo menos, na região Metropolitana, a fim de conter o avanço da doença.