Consumo excessivo de álcool na adolescência causa danos cerebrais, aponta estudo

Pesquisa identificou alterações no volume do cerebelo, estrutura do cérebro ligada às funções motoras e cognitivas

Larissa Lucena, colaboração para a CNN
22 de março de 2021 às 11:18 | Atualizado 22 de março de 2021 às 11:19
Garrafa e copo de cerveja
Estudo investiga os efeitos do álcool na estrutura cerebral dos adolescentes
Foto: Freepik

O consumo excessivo de álcool na adolescência está associado a mudanças no volume do cerebelo – estrutura do cérebro ligada às funções motoras e cognitivas do ser humano – na idade adulta. Os dados constam em um artigo da Universidade da Finlândia Oriental e do Hospital Universitário Kuopio, publicado pela revista científica Alcohol.

Estudos anteriores demonstraram que o consumo excessivo de álcool por longo prazo causa danos ao cerebelo em adultos, mas há poucas informações sobre os efeitos no cerebelo de adolescentes.

Por isso, “mais pesquisas são necessárias para avaliar o significado e as implicações dessas descobertas”, explicou Virve Kekkonen, especialista em Psiquiatria Adolescente e principal autora do artigo.

Neste estudo, os cientistas analisaram 58 adultos de 21 a 28 anos por meio de ressonância magnética, cujo consumo de álcool havia sido monitorado nos últimos dez anos.

Dos participantes, 33 bebiam muito desde a adolescência, enquanto 25 consumiam pouco ou nenhum álcool.

Todos do último grupo eram altamente funcionais e com capacidade cognitiva normal. Enquanto nos demais participantes havia alterações no volume dos lóbulos cerebelares posteriores, quando comparados aos que consumiam pouco ou nenhum álcool.

A pesquisa conclui que o cerebelo “tem conectividade diversa com áreas não motoras do cérebro humano, como o córtex pré-frontal e o sistema límbico, e está associado à regulação do comportamento emocional, humor e excitação”.

Assim, é possível que as descobertas estejam relacionadas tanto às funções cognitivas quanto motoras.