São Paulo tem mais de 3 mil novas internações diárias há 5 dias

As mais de 3,4 mil internações registradas no domingo (21) foram puxadas pela região metropolitana de São Paulo

Giovanna Bronze e Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo
22 de março de 2021 às 07:42

O estado de São Paulo registra diariamente mais de 3 mil novas internações desde 17 de março. São cinco dias que mais de três mil pessoas dão entrada no sistema público de saúde, para serem internadas em um leito de enfermaria ou de UTI.

Apenas no domingo (21), foram 3.445 novas internações. O número é o segundo maior já registrado em um dia; no sábado, dia 20 de março, foi contabilizado o recorde de 3.508 novas hospitalizações.

As mais de 3,4 mil internações são puxadas pela região metropolitana de São Paulo. Segundo a plataforma do Seade, a grande São Paulo contabilizou 1.851 internações - mais da metade do registrado no estado.

Em 21 de fevereiro, o governo estadual registrou 1.653 novas internações. Em um mês, as hospitalizações diárias cresceram 108,4%.

É o momento mais crítico nas internações no estado. Até março de 2021, São Paulo nunca registrou mais de 2.200 internações por dia.

Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, São Paulo alcançou 28.638 pessoas internadas - maior número desde o início da pandemia - no domingo, 23º dia seguido de recorde no número de pessoas hospitalizadas. Destas, 16.570 são em leitos de enfermaria e 12.068 em leitos de UTI.

É a primeira vez que o estado registra mais de 12 mil leitos de UTI ocupados por pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI no estado está em 91,2%, enquanto na grande São Paulo está em 91,3%.

Com a baixa disponibilidade de leitos, a demanda por transferência de pacientes que precisam de leitos de UTI cresce. Segundo a Secretaria de Saúde de São Paulo, a Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) recebe cerca de 1,5 mil pedidos por dia. Segundo levantamento da CNN, pelo menos 82 pessoas morreram enquanto aguardavam na fila.

Com a taxa de ocupação dos leitos de UTI em São Paulo em 90%, diversas pessoas aguardam uma vaga (20.mar.2021)
Foto: Reprodução / CNN