Pessoas vacinadas podem visitar outras não vacinadas em casa, diz órgão dos EUA

Centro de Controle e Prevenção de Doenças orienta que visitas devem ocorrer em uma casa por vez; exceção se aplica àqueles com risco alto de ter Covid-19 grave

Christopher Rios, da CNN
23 de março de 2021 às 10:08
Idosa é vacinada no Rio de Janeiro contra Covid-19
Idosa é vacinada contra a Covid-19;
Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

Pessoas totalmente vacinadas devem se sentir livres para visitar seus familiares e amigos não vacinados sem restrições, mas as visitas devem ser limitadas a uma família não vacinada de cada casa por vez, disseram as autoridades do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos na segunda-feira (22) .

No entanto, mesmo os avós totalmente vacinados não devem levar seus netos à igreja ou expô-los à multidão, disseram os funcionários do CDC durante um seminário online.

O CDC irá atualizar suas orientações assim que ficar claro o quão bem a vacinação previne a propagação do vírus, mas por enquanto, ainda há limites sobre o que as pessoas totalmente imunizadas devem fazer, disse o órgão.

“No cenário em que as pessoas não vacinadas são de uma única família e todas as pessoas não vacinadas têm baixo risco de desenvolver a forma grave da Covid-19, nenhuma medida de prevenção é necessária, então essas visitas podem acontecer em ambientes fechados, sem máscara ou distanciamento físico”, disse Tami Skoff, epidemiologista do CDC na Equipe de Diretrizes Clínicas da Força-Tarefa de Vacinas dos EUA.

“E o exemplo que gostamos de dar aqui é que os avós totalmente vacinados podem visitar seus filhos e netos não vacinados, presumindo que nenhum deles esteja em alto risco de desenvolver a forma grave da doença. Essas visitas podem ser feitas em ambientes fechados, sem máscaras ou distância física”, afirmou Skoff durante uma conferência online do CDC sobre recomendações provisórias de saúde pública para pessoas totalmente vacinadas.

Essas recomendações se aplicam apenas a pessoas que estão totalmente vacinadas, disse Skoff, o que significa que já se passaram duas semanas desde a segunda dose das vacinas de dose dupla ou duas semanas desde o recebimento da vacina da Johnson & Johnson, que é de dose única.

“Há crescentes evidências que sugerem que pessoas totalmente vacinadas têm menos probabilidade de ter infecção assintomática e, portanto, potencialmente menos probabilidade de transmitir SARS-CoV-2 a outras pessoas”, disse Skoff.

“Sabemos que as vacinas contra Covid-19 são muito eficazes na prevenção de doenças sintomáticas (e) ainda mais eficazes na prevenção de formas graves da doença. Além disso, como acabei de dizer, você sabe que há muitas evidências de que as vacinas atualmente disponíveis realmente ajudam a reduzir ou interromper a disseminação desse vírus de pessoas totalmente vacinadas para outras”, disse ela.

Mas há duas exceções importantes que exigem que todos sigam as precauções padrão, como distanciamento físico e uso de máscara. Uma delas é se alguma das pessoas não vacinadas tem risco alto de desenvolver a Covid-19 grave, como adultos mais velhos, mulheres grávidas ou pessoas com Síndrome de Down, entre outros. A outra seria se mais de duas famílias não vacinadas, de casas diferentes, se misturassem.

“De acordo com as recomendações do CDC, se pessoas não vacinadas de mais de uma família de casas diferentes estão participando de uma visita, então essas visitas devem continuar a acontecer do lado de fora, em local aberto, e todos, independentemente se estão vacinados ou não, devem estar fisicamente distantes e usando máscaras bem ajustadas”, disse Skoff.

“O exemplo que gostamos de dar aqui é o caso de duas famílias se visitando. Ambas têm dois adultos totalmente vacinados e duas crianças não vacinadas. Neste exemplo, recomendamos que a visita seja ao ar livre e que todos usem máscaras e fiquem distantes fisicamente”, disse Skoff.

Questionada sobre se dois adultos totalmente vacinados poderiam levar as crianças à igreja, Skoff disse que não.

Segundo ela, as crianças não podem ser vacinadas em sua maioria e podem estar em risco na multidão da igreja. “As recomendações atuais do CDC são de que todas as pessoas, incluindo as que estão totalmente vacinadas, devem continuar a evitar encontros com grupos de médio e grande porte”, disse Skoff.

Da mesma forma, mesmo as pessoas totalmente vacinadas precisam ter cuidado ao viajar, disse a Dra. Cynthia Ogden, da equipe de resposta de emergência contra a Covid-19 do CDC.

“Enquanto trabalhamos para vacinar mais pessoas, medidas preventivas como testes pré e pós-viagem e quarentena pós-viagem, junto com o uso de máscaras bem ajustadas, nos ajudarão a prevenir a disseminação da Covid-19”, disse Ogden.

“Nenhuma vacina é perfeita. Um pequeno número de pessoas ainda pode pegar a Covid-19 mesmo depois de serem totalmente vacinadas e elas podem espalhar o vírus para pessoas não vacinadas. Há estudos em andamento agora sobre como as vacinas reduzem a disseminação do vírus e podemos atualizar nossas recomendações, aprenderemos mais”, acrescentou Ogden.

“Estaremos acompanhando de perto as tendências nos casos no próximo mês”, disse ela. “Até que mais informações sejam conhecidas e a cobertura da vacina aumente, algumas medidas preventivas serão necessárias para todas as pessoas, independentemente do estado de imunização”.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)