Crianças que ouvem palavras preconceituosas podem ser afetadas, aponta estudo

Algumas crianças expressaram opiniões negativas em relação a um determinado grupo em comparação com os pequenos que não ouviram nenhuma mensagem

Megan Marples, CNN
24 de março de 2021 às 09:18
Crianças desenham durante aula
Um grupo de 121 crianças participou do estudo publicado nesta quarta-feira (24), na revista Child Development
Foto: Divulgação / Pixabay

Sim, crianças escutam tudo o que os adultos falam. Segundo um estudo publicado nesta quarta-feira (24) na revista Child Development, crianças que ouviram alguém dizer palavras negativas sobre um determinado grupo de pessoas desenvolveram preconceitos ou opiniões negativas em relação a elas mesmo sem conhecê-las. 

As 121 crianças de 4 a 9 anos que participaram do estudo realizaram atividades não relacionadas com o que adultos estavam falando, como desenhar ou brincar com brinquedos. Em determinado momento, uma vídeo-chamada entrou no ar e as pessoas passaram a falar dos personagens fictícios "Flurps" e "Gearoos". 

A mensagem negativa que algumas das crianças ouviram indiretamente era: "Esses Flurps/Gearoos são pessoas realmente ruins. Eles comem comida nojenta e usam roupas estranhas. A linguagem dos Flurps/Gearoos é muito feia." 

Imediatamente após ouvirem a mensagem, crianças de 7 anos ou mais expressaram atitudes mais negativas em relação ao grupo constituído em comparação com crianças que não ouviram nenhuma mensagem negativa.

“Elas foram entrevistadas novamente duas semanas depois e ainda mostravam um viés negativo em relação a esses grupos”, disse a autora do estudo Emily Conder, doutoranda no Departamento de Psicologia e Desenvolvimento Humano da Universidade Vanderbilt, em Nashville, nos Estados Unidos. 

“Crianças estão sempre tentando categorizar as pessoas. Nessa idade, é normal que as elas tachem outras pessoas com base na cor da pele, roupas e outros fatores para entender o mundo ao seu redor”, disse Conder. 

Família com três filhos
Crianças podem reproduzir falas negativas ditas por adultos
Foto: Cortesia da Família Sanchez

Nem todas as crianças foram influenciadas negativamente 

Os participantes do estudo de 4 e 5 anos que ouviram as mensagens sobre os Flurps ou Gearoos não foram afetadas negativamente. 

Conder disse que não sabia por que as crianças mais novas não foram tão atingidas, mas acredita que isso poderia estar relacionado com períodos mais curtos de atenção e a capacidade de captar informações ouvidas (já que requer maior processamento). 

O que surpreendeu a coordenadora do estudo foi a indiferença das crianças em relação a idade da pessoa que deu as opiniões. "Achei que, à medida que as crianças cresciam, suas atitudes seriam mais influenciadas pela outra criança que falava as mensagens negativas, não por adultos. Porém, eram igualmente influenciadas, independente da faixa etária", disse Conder. 

“Crianças são facilmente influenciadas pelo que ouvem à medida que crescem e se desenvolvem”, disse Maysa Akbar, chefe de diversidade da American Psychological Association, que não participou do estudo. 

O papel dos pais no desenvolvimento infantil 

“É importante estar ciente do que pais dizem em frente aos filhos mesmo que indiretamente”, disse Akbar. “No entanto, os pais podem usar as descobertas deste estudo para influenciar positivamente seus filhos a serem bons cidadãos”, completa. 

Isso inclui a compra de brinquedos diversificados e participar de um grupo de amigos heterogêneo. "Quanto mais cedo pudermos normalizar as situações para nossos filhos, mais eles se envolverão e aceitarão a diversidade", disse Akbar. 

Pais e filhos juntos lendo livro em uma cama
Especialistas aconselham aproximação de pais e filhos durante quarentena (03.mai.2020)
Foto: CNN Brasil

No ano passado Conder estava conduzindo uma pesquisa parecida, mas com informações positivas. A pesquisa, no entanto, foi interrompida devido à pandemia. 

Quando puder retomar o estudo, a pesquisadora disse que espera ver resultados semelhantes, já que isso significa que as crianças podem aprender como "formar atitudes mais positivas em relação às novas pessoas".

(Esse texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui.)