Anvisa suspende prazo de análise da Sputnik-V por falta de dados

Janssen tem 32% do processo concluído, 54% em análise e 14% pendente de complementação

Matheus Prado, da CNN, em São Paulo
27 de março de 2021 às 15:09 | Atualizado 07 de abril de 2021 às 11:24
Profissional de saúde enche seringa com vacina Sputnik V contra Covid-19
Profissional de saúde enche seringa com vacina Sputnik V contra Covid-19
Foto: Maxim Shemetov/Reuters

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou, neste sábado (27), um painel que mostra o status das análises de uso emergencial das vacinas contra a Covid-19. Ali, é possível ver como está avançando o pedido das empresas/laboratórios, já que o órgão governamental tem um prazo de sete dias para avaliá-los.

Naturalmente, os dados que mais chamam atenção são referentes aos imunizantes da Janssen e a Sputnik V, que foram os últimos a iniciar o processo. A primeira aparece com o seguinte status: 32% concluído; 54% em análise e 14% pendente de complementação.

Em relação à vacina russa, produzida pela União Química, "devido à ausência de documentos considerados importantes para a análise, conforme previsão legal, houve a suspensão da contagem dos prazos, até que a empresa apresente as informações descritas como “não apresentado” no painel divulgado".

Entre os documentos faltantes, há itens como as especificações de qualidade do imunizante e o tempo médio de acompanhamento dos participantes dos ensaios clínicos após a administração da vacina.

Texto atualizado às 11h25 desta quarta-feira (7) para correção de informação. A representante da Sputnik no Brasil é a União Química, não Neo Química, como informado anteriormente.