Jovens ficam quase o dobro de tempo internados por Covid-19, diz governo de SP

Segundo o Ministério da Saúde, de 7 a 13 de março 6.412 mortes ocorreram em todo Brasil de pessoas de até 49 anos

Tiago Américo, da CNN, em São Paulo
27 de março de 2021 às 22:09 | Atualizado 27 de março de 2021 às 22:11

Dados compilados pelo governo do estado de São Paulo apontam que pacientes jovens da Covid-19, apesar de terem quadros graves em menor proporção, ocupam leitos de UTI por mais tempo quando necessitam das vagas.

Enquanto um idoso fica internado, em média, entre 7 e 10 dias, os jovens ficam quase o dobro desse tempo. Com um número crescente de jovens infectados pela Covid-19, o resultado é a maior dificuldade no acesso de pessoas às vagas em leitos de UTI.

De acordo com o Ministério da Saúde, a faixa etária mais jovem vem se tornou o principal alvo da doença hoje no país.

Entre os dias 7 e 13 de março, o Brasil registrou 6.412 mortes por Covid-19 de pessoas de até 49 anos. Na primeira semana de 2021, entre os dias 3 e 9 de janeiro, foram 14 mortes registradas na mesma faixa etária pela doença.

Além da própria vacinação contra a Covid-19, que se concentra inicialmente nos mais velhos, uma segunda explicação para a maior dissenimação entre os jovens é o fato de estes serem a maior parte dos economicamente ativos. Portanto, muitos precisam trabalhar fora de casa e utilizar o transporte público.

Para o infectologista Renato Grinbaum, um fechamento total das atividades seria essencial para diminuir a transmissão do vírus e o número de mortes. 

"Acredito que 2 a 3 semanas poderiam frear essa situação de uma forma bem intensa, desde que haja uma grande adesão por parte da população", disse. 

Número de mortes de jovens por Covid aumentou desde o início de 2021
Número de mortes de jovens por Covid aumentou exponencialmente de janeiro para março (27.mar.2021)
Foto: Reprodução / CNN