'Precisamos de união em torno da vacinação', diz Roberto Kalil

Em entrevista à CNN, o presidente do Conselho Diretor do InCor explicou os desafios do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para combater a pandemia

Produzido por Layane Serrano, da CNN, em São Paulo
28 de março de 2021 às 18:15

Em entrevista à CNN, o presidente do Conselho Diretor do Instituto do Coração (InCor) e diretor de cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, Roberto Kalil, afirmou que uma das principais missões do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, é unir à população no combate à pandemia de Covid-19.

"Precisa-se de uma união em torno dessa vacinação, das medidas de proteção e de não faltarem insumos", disse Kalil.

"O ministro tem vários focos. O principal é trazer as vacinas e outro, não menos importante, é evitar o colapso do sistema de saúde." 

De acordo com o médico, Queiroga já tentou criar um diálogo maior com instituições e a população, o que seria uma atitude "apolítica".

"Ele tentou falar com as pessoas, visitar hospitais, se aproximar das universidades e conversar, independente de questões políticas. Nesse momento, a política realmente deve ficar de lado para se tentar a união."

Contudo, Kalil também realçou o atraso no processo de imunização no Brasil. "A vacinação no país é pífia", disse.

"A vacina é a única arma que nós temos contra esse vírus."

O presidente do Conselho Diretor do InCor, Roberto Kalil, falou sobre os desafios do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (28.mar.2021)
Foto: Reprodução / CNN