Profissionais da educação e da segurança ganham prioridade na vacinação no RJ

Profissionais da saúde ainda não imunizados também são preferência

Marcela Monteiro, da CNN, no Rio de Janeiro
30 de março de 2021 às 15:39 | Atualizado 30 de março de 2021 às 19:35

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), anunciou hoje (30) que profissionais da segurança e da educação serão incluídos entre as prioridades de vacinação contra Covid-19 no estado. Os profissionais de saúde que ainda não foram imunizados também ganharão preferência no cronograma. Na semana passada, Castro já havia adiantado que o estado teria um calendário único de vacinação.

Em coletiva nesta manhã, o governador interino ponderou que o calendário não é obrigatório para os municípios. “O objetivo é criar um balizador para que isso possa ser dialogado com os municípios". "Eu sempre venho reiterando essa questão do diálogo, do trabalhar junto, que é importante”, acrescentou.

Castro propõe que os profissionais da saúde ainda não vacinados e os da segurança pública se encaminhem aos postos a partir de 12 de abril. No Rio, 324 mil profissionais da saúde ainda não foram imunizados. 

Por defender as aulas presenciais, o governador incluiu os trabalhadores das escolas no terceiro grupo prioritário, mas ainda não há data definida para que sejam incluídos no cronograma. “Para mim, a escola seria a última a fechar e a primeira a abrir. Mas a data vai depender de parcerias com as prefeituras”, disse Castro.

Profissional prepara vacina contra Covid-19 para aplicação no Rio de Janeiro
Foto: Delmiro Júnior/Agência O Dia/Estadão Conteúdo (19.mar.2021)

 

O governador ressaltou ainda que foram disponibilizados 397 leitos novos nesta última semana. Desse total, 224 são unidades de terapia intensiva (UTI). O governador interino afirmou que a redução na taxa de ocupação dos leitos, de 92% para 87%, mostra que não há colapso na saúde fluminense.

“O secretário de Saúde (Carlos Alberto Chaves) está dizendo que não há colapso. Esta semana, o Dr. Chaves distribuiu kit intubação para várias cidades. O estado tem trabalhado muito para que não falte insumo", afirmou Castro, que esteve em Brasília na semana passada e, segundo ele, tem mantido interlocução permanente com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Castro também disse que autorizou a compra de mais 600 respiradores que devem ser destinados às redes municipais e à rede estadual de saúde.