Butantan estuda aplicação de 3ª dose da Coronavac, diz diretor médico

O diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, também falou sobre a maior eficácia da vacina identificada em estudos

Produzido por Jorge Fernando Rodrigues, da CNN, em São Paulo
11 de abril de 2021 às 18:25 | Atualizado 12 de abril de 2021 às 15:14

Em entrevista à CNN, o diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, revelou que há estudos sobre a possível aplicação de uma 3ª dose da Coronavac

"Existem grandes preocupações sobre como melhorar a duração da resposta imune, e uma das alternativas que tem sido considerada é uma dose de reforço, seja com a própria Coronavac, seja com outros imunizantes", disse Palacios. 

Segundo Palacios, além do estudo de uma eventual 3ª dose de reforço da Coronavac, também é estudada a possibilidade de uma combinação de imunizantes com a própria ButanVac, vacina em desenvolvimento pela instituição que aguarda a aprovação da Anvisa para realizar testes em humanos. "Possivelmente a combinação dessas vacinas conseguirá melhorar a duração da resposta imune, dar um reforço adicional", afirmou.

Além disso, o diretor do Instituto Butantan reforçou a recomendação médica aos serviços de saúde sobre o intervalo de 28 dias entre as doses da Coronavac, que, de acordo com um novo estudo clínico, provavelmente garante uma maior eficácia do imunizante. 

Antes, o intervalo recomendado entre as doses era de 14 dias. 

O diretor Médico do Ib Ricardo Palacios falou sobre novos estudos da Coronavac
O diretor Médico do Ib Ricardo Palacios falou sobre estudos de aplicação de uma 3ª dose da Coronavac (11.abr.2021)
Foto: Reprodução / CNN

(Publicado por Fernanda Colavitti)