'Estamos longe de uma situação confortável', diz Paes sobre pandemia no Rio

As medidas restritivas na cidade do Rio de Janeiro foram prorrogadas até o dia 10 de maio

Camila Portes e Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro
30 de abril de 2021 às 10:23
Prefeito do Rio Eduardo Paes
O prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) anuncia a criação do Auxílio Carioca para o período de dez dias de restrição
Foto: DIKRAN JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), afirmou nesta sexta-feira (30) que a pandemia do novo coronavírus na capital fluminense ainda “está longe de uma situação confortável”. De acordo com ele, a cidade do Rio permanece em um nível muito alto de contaminação.

“Nós ainda temos uma incidência muito grande de pessoas procurando nossa rede com sintomas da doença [Covid-19]. Isso mostra que a gente está longe de estar numa situação confortável”, disse Paes durante divulgação do 17º Boletim Epidemiológico.

O prefeito do Rio disse ainda que as decisões da prefeitura são norteadas pelo número de atendimentos registrados na rede municipal de saúde. E, por isso, as medidas restritivas contra a Covid-19 foram prorrogadas até o dia 10 de maio.  

Dessa forma, a permanência na areia das praias e em cachoeiras aos fins de semana e feriados permanece proibidas. Bares, restaurantes e quiosques da orla também seguem com restrição de horário para receber clientes – até às 22h, com porrogação máxima até às 23h. 

“A gente tem uma queda de contágio, redução no número de internações, mas com uma tendência de estabilização. Talvez fosse o momento de até flexibilizar um pouco mais essa semana. Mas como houve uma estabilização em um plato, a gente mantém algumas medidas para que a curva possa descer”. 

A cidade do Rio de Janeiro soma 258.038 casos confirmados de Covid-19 e 23.710 mortes causadas pela doença. A taxa de ocupação de leitos de UTI na capital é de 94%. Atualmente, 33 pessoas aguardam na fila de espera.