Em uma semana, todas as variantes sequenciadas no Rio são da cepa amazônica

Boletim epidemiológico semanal do município aponta 34 novos casos da linhagem P.1

Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro
17 de maio de 2021 às 12:57 | Atualizado 17 de maio de 2021 às 17:43

Todas as amostras do coronavírus positivas para novas variantes detectadas no intervalo de uma semana na cidade do Rio de Janeiro são da P.1, a linhagem amazônica. A informação está no Boletim Epidemiológico do município, feito com base em notificações feitas pelos laboratórios de referência ao Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde (CIEVS-Rio). 

Ao todo, o Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo (LVRS/Fiocruz), o Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LVM/UFRJ), e o Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT/USP) apontaram 34 casos de novas variantes. Todos são casos de P.1. Deste total, 33 são moradores da cidade. 

Desde o início do ano, foram analisadas, por sequenciamento genético, 503 amostras de novas variantes do coronavírus. Deste total, 383 são da P.1, que representa 76,14% do total avaliado em 2021. Até a semana anterior, a linhagem amazônica representava 74,14% dos casos da capital do estado. 

Representação gráfica do novo coronavírus, causador da doença Covid-19
Foto: Gerd Altmann/Pixabay

Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e professor de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Alberto Chebabo afirmou ainda não ter se deparado com dados iguais aos dessa semana, mas entende o resultado como natural. 

“A P.1 é uma variante com capacidade de transmissão maior que as demais, foi crescendo e se tornou prevalente no Rio de Janeiro de forma muito rápida. Sabíamos que ela estava com taxa acima de 90% no estado. Então, se aumentarem o número de amostras sequenciadas, podem até pegar outras amostras, mas está retratando algo dentro da lógica da cidade”, afirma Chebabo.  

Desde o início da pandemia, 816 mil pessoas testaram positivo para Covid-19 no Rio de Janeiro. A doença deixa até o momento cerca de 48 mil mortos nos 92 municípios do estado. A capital registrou 25,2 mil óbitos provocados pela doença.