Entenda como empresas veterinárias podem produzir vacinas contra a Covid-19

Marcelo Queiroga visitou indústria no interior de SP nesta sexta (21)

Da CNN, em São Paulo
21 de maio de 2021 às 20:12

A visita do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a uma fábrica do setor do agronegócio que tem potencial para se tornar parque de produção de vacinas contra a Covid-19, no interior de São Paulo, marca um importante passo para o projeto de lei apresentado pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT).

Apesar de ter nascido no Senado, o projeto já movimenta parlamentares ligados ao agronegócio na Câmara dos Deputados. As informações são do analista de política da CNN Iuri Pitta.

Para que fábricas de vacinas veterinárias possam fabricar vacinas humanas para a Covid-19 é necessária uma adaptação, que a indústria estima que pode ser feita em cerca de 90 dias. Porém, antes disso, o principal é deter a tecnologia: isso significa ter a transferência da chamada célula-mãe, a qual é utilizada pelas farmacêuticas que já desenvolvem imunizantes contra a doença.

A célula-mãe é composta de dados descobertos e utilizados na fabricação de vacinas, incluindo o IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo), que o Brasil ainda depende de importação. As indústrias veterinárias dizem que tendo a célula-mãe vão poder produzir desde a matéria-prima até o envase de vacunas a serem distribuídas.

Ministro da Saúde visitou possível fábrica a ser adaptação para produção de vacinas humanas
Foto: Myke Sena/Ministério da Saúde