Rio de Janeiro multou quase 10 mil pessoas por falta de uso de máscara

Sanções aconteceram em meio à polêmica envolvendo as declarações de Eduardo Paes sobre não multar Jair Bolsonaro e demais presentes em evento na cidade

Iuri Corsini, da CNN, no Rio de Janeiro
26 de maio de 2021 às 11:22 | Atualizado 27 de maio de 2021 às 00:03

 

Enquanto o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, diz que não pretende multar o presidente Jair Bolsonaro após a motociata na cidade, no último domingo (23), 9.927 pessoas foram multadas pela falta do uso de máscaras de proteção facial entre os dias 5 de junho de 2020 e 11 de maio de 2021.

Além disso, 663 pessoas foram notificadas por aglomeração em via pública ou em estabelecimento, incluindo fila. A multa prevista pela prefeitura nestes casos é de R$562,42. As notificações pelo não uso de máscaras representam 76,8% de todas as 12.916 infrações registradas pela Guarda Municipal no período mencionado acima.

As informações foram confirmadas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop).
Ainda conforme a Seop, de 1º de janeiro até o momento, foram interrompidos 132 festas e eventos na cidade do Rio, em cumprimento aos decretos que proíbem a realização de festas e rodas de samba em áreas públicas e particulares; bem como o funcionamento de boates, danceterias, salões de dança e casas de espetáculo.

No último domingo, o evento com o presidente Jair Bolsonaro reuniu quase 40 mil pessoas (de acordo com a organização da motociata). O passeio de motociclistas começou na Barra da Tijuca e percorreu mais de 30 quilômetros, com um palanque montado no Flamengo, na zona sul, onde o presidente foi acompanhado de deputados e autoridades, como o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, todos sem máscara.

Na terça-feira (25), durante agenda pública o prefeito Eduardo Paes preferiu não polemizar a motociata que teve e presença do presidente e disse que, apesar da responsabilidade pela fiscalização de infrações sanitárias ficar a cargo da Vigilância Sanitária, a decisão de multar ou não Jair Bolsonaro deveria “vir do povo”. 

“Nós não vamos ficar aqui atrás de presidente da República na cidade para multar ou deixar de multar. Eu acho que, essa avaliação, quem tem que fazer é a população”, afirmou Paes.

Dos 848.495 casos confirmados de Covid-19 no estado do Rio, 317.496 foram registrados na capital. Além disso, o estado fluminense tem 49.672 mortes em decorrência da pandemia, sendo 25.989 na cidade do Rio de Janeiro.

Banhistas se aglomeram sem máscara na Praia de Copacabana
Foto: Reginaldo Pimenta/Agência O DIa/Estadão Conteúdo