Anvisa autoriza novas condições de armazenamento de vacina da Pfizer

Imunizante poderá ser aplicado em outras cidades além de capitais

da CNN*, em São Paulo
28 de maio de 2021 às 11:45 | Atualizado 28 de maio de 2021 às 13:30

 

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta sexta-feira (28) as novas condições de armazenamento e conservação para a vacina contra Covid-19 da Pfizer

Antes restrito a capitais por conta das dificuldades no armazenamento de baixa temperatura, o imunizante agora poderá ir para municípos que ficam distantes em até 2h30 de viagem. 

O novo texto da bula estende de 5 para 31 dias o tempo em que a vacina pode ficar refrigerada em temperaturas de 2 a 8ºC. A decisão atende a um pedido da farmacêutica, que apresentou estudos que mostraram que o fármaco se mantém estável em temperaturas mais altas por mais tempo. 

O Ministério da Saúde já havia anunciado que cidades fora das capitais poderiam receber a vacina, pois estavam se adequando às particularidades do armazenamento dela, que requer temperaturas baixíssimas. 

Atualmente, no Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo, as doses ficam armazenadas na temperatura de -90°C a -60°C, em freezers instalados. Os estados recebem o imunizante entre -25°C e -15°C.

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira (27) que o Brasil receberá mais 2,3 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 no início do mês de junho. Com isso, já serão mais de 5,2 milhões de doses do imunizante entregues à pasta.

(*Com informações de Nohlan Hubertus, Natália André e Rafaela Lara, da CNN em Brasília e em São Paulo)

Profissional da saúde com doses da vacina Pfizer; imunizante começou a ser distribuído no Brasil no início de maio
Foto: Divulgação/Ministério da Saúde