SP: trabalhadores de aeroportos começam a ser vacinados nesta sexta-feira (28)

Primeiros funcionários a serem imunizados são os que atuam nos aeroportos de Congonhas, Cumbica e Viracopos

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo*
28 de maio de 2021 às 04:30 | Atualizado 28 de maio de 2021 às 07:58

Os trabalhadores aeroviários começam a ser vacinados contra a Covid-19 a partir desta sexta-feira (28) no estado de São Paulo. Os primeiros funcionários a serem imunizados são os que atuam nos aeroportos de Congonhas, na capital, Cumbica, em Guarulhos, e Viracopos, em Campinas.

O governo paulista espera vacinar 19 mil pessoas nessa etapa. Receberão a vacina funcionários dos terminais, de companhias aéreas e de empresas prestadoras de serviços.

Também nesta sexta-feira, o governo paulista começa a vacinar pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente entre 40 e 44 anos. O governo espera concluir, até o final do mês de junho, a vacinação contra a Covid-19 de pessoas com comorbidades e com deficiência, acima de 18 anos.

A próxima categoria trabalhadora a ser imunizada será a dos portuários. A partir de  1º de junho o governo de São Paulo dá início à vacinação dos funcionários dos portos. A expectativa é que sejam vacinados 21 mil trabalhadores.

Nos portos, serão vacinados funcionários das autoridades portuárias e de operadores (arrendatários ou autorizatários) e trabalhadores avulsos. 

Outras etapas de vacinação

Após esse período, o governo paulista prevê iniciar a vacinação de pessoas com idades entre 55 e 59 anos, de 1º a 20 de julho, além de profissionais da Educação com idade entre 18 e 46 anos de 21 a 31 de julho. Professores e profissionais da educação com idade superior a 47 anos já estão sendo vacinados no estado de São Paulo desde o dia 10 de abril.

O governo também anunciou que espera vacinar as pessoas entre 45 e 54 anos de idade do estado em agosto. Entre os dias 2 e 16 de agosto seriam vacinadas as pessoas de 50 a 54 anos.

Já as pessoas de 45 a 49 anos serão vacinadas a partir do dia 17 de agosto. Todo esse calendário, no entanto, vai depender da quantidade de vacinas a serem disponibilizadas pelo Ministério da Saúde no Programa Nacional de Imunizações.

Com informações da Agência Brasil*