Prefeitura de SP vai reter receitas de vacinados para evitar fraudes

Medida passa a valer a partir de segunda-feira (31) e foi orientada pelo Ministério Público

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo .
29 de maio de 2021 às 16:45 | Atualizado 29 de maio de 2021 às 18:04
Profissional de saúde prepara dose da vacina contra Covid-19 em Suzano, SP
Profissional de saúde prepara dose da vacina contra Covid-19 em Suzano, São Paulo
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo vai passar a reter as receitas médicas de pessoas com comorbidades que receberem a primeira dose de vacinas contra a Covid-19. A medida entrará em vigor a partir de segunda-feira (31), com o objetivo de evitar fraudes. Nem todas as receitas serão retidas, mas serão feitas cópias das receitas por amostragem. 

Continuará sendo necessário também a apresentação de comprovante de residência no município de São Paulo na hora da vacinação, comunicou a Secretaria de Saúde, por meio de nota enviada à imprensa. 

A pasta disse que "está criando mecanismos para evitar fraudes em relação a grupos prioritários liberados para vacinação" e afirmou que a medida de reter as receitas acontecerá "em todas as unidades de saúde utilizadas na campanha de imunização".

"A medida passou a ser adotada após sugestão do Ministério Público (MP). Assim que detectado qualquer tipo de irregularidade, será iniciado um processo civil/criminal, com encaminhamento para providências do MP", completou a secretária de Saúde.