OMS decide nesta terça-feira (1º) sobre aprovação da Coronavac

A diretora-geral assistente da OMS, Dra. Mariângela Simão, informou que a documentação final foi enviada pela Sinovac à Organização na semana passada

Leonardo Lopes e Layane Serrano, da CNN, em São Paulo
31 de maio de 2021 às 14:20 | Atualizado 31 de maio de 2021 às 15:38

 

A aprovação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para uso emergencial da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac Biotech pode acontecer nesta terça-feira (1º).

A médica e porta-voz da OMS, Dra. Margaret Harris, confirmou à CNN que o Grupo Consultivo Técnico (TAG, em inglês) se reunirá para avaliar os dados fornecidos sobre a Coronavac e tomar a decisão final.

A diretora-geral assistente da OMS, Dra. Mariângela Simão, informou que a documentação final foi enviada pela Sinovac à Organização na semana passada.

"Caso esses dados atendam a todos os critérios apropriados, uma decisão será tomada e publicada", disse Harris. A porta-voz aponta que não é possível determinar com precisão o horário que a decisão pode ser tomada.

A aprovação para uso emergencial abriria um leque de possibilidades para o imunizante que encabeça a campanha de vacinação brasileira.

O TAG foi uma iniciativa tomada durante a pandemia de Covid-19 para garantir aconselhamento técnico de especialistas à OMS, UNESCO e UNICEF. Formado por até 30 membros, eles fornecem assessoria estratégica e técnica relacionadas à gestão da pandemia.

Foto: Amanda Perobelli/Reuters (22.jan.2021)

O grupo se reúne pelo menos uma vez por mês para discutir questões importantes em relação ao coronavírus. As reuniões são fechadas, ocorrem virtualmente e são co-presididas pelas agências OMS, UNESCO e UNICEF.

Com a possível aprovação emergencial na OMS, a Coronavac poderia passar a ser comprada e incorporada ao consórcio Covax Facility, para distribuição em escala global.

A autorização também abriria o questionamento se brasileiros imunizados com a Coronavac passariam a ser aceitos em locais adeptos do "passaporte de vacinação". Em abril, o Comitê de Emergências da OMS se demonstrou contrário a iniciativa do passaporte, que já foi anunciado na União Europeia e é estudado como possibilidade pelos Estados Unidos.

No início de maio, o grupo Consultivo Estratégico De Especialistas em Imunização (SAGE) da OMS fez uma revisão dos dados da fase 3 de testes da Coronavac na China, Brasil, Indonésia, Turquia e Chile.

O grupo de especialistas disse estar "muito confiante que duas doses da Coronavac são eficazes em prevenir a identificação de Covid-19 em adultos (18-59 anos) em testes do tipo PCR". O SAGE apontou à época a insuficiência de dados sobre o resultado da Coronavac em grávidas e idosos.