Número de mortes no Brasil nunca foi tão alto em um semestre, aponta pesquisa  

De acordo com a pesquisa, a pandemia causou “um profundo impacto nas estatísticas vitais da população brasileira” 

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro 
09 de julho de 2021 às 09:15 | Atualizado 09 de julho de 2021 às 09:17
Cemitério Vila Formosa
Funcionários do cemitério de Vila Formosa, em SP, carregam caixão de vítima da Covid-19; devido ao elevado número de óbitos, os funcionários também trabalham no período noturno
Foto: Lincon Zarbietti/dpa/Getty Images

O número de mortes no Brasil se aproximou, pela primeira vez na história, o de nascimentos durante os primeiros seis meses do ano, segundo um estudo realizado pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil). Os dados referentes ao primeiro semestre de 2021 foram divulgados nesta quinta-feira (08).  

De acordo com o levantamento, os cartórios brasileiros registraram 956 mil mortes até o final de junho, resultado 67,7% maior do que a média histórica. Já o número de nascimentos no Brasil foi de 1,3 milhões, o que retrata um aumento populacional de 368 mil pessoas. O crescimento populacional foi 59,1% menor do que o previsto para o período. 

O resultado representa uma queda de 59,1% no crescimento populacional que estava previsto para o período.  

“Nunca se morreu tanto e se nasceu tão pouco em um primeiro semestre como em 2021. Diferença entre nascimentos e óbitos é a menor já registrada desde o início da série histórica. A pandemia da Covid-19 vem causando um profundo impacto nas estatísticas vitais da população brasileira.”, destaca o estudo. 

Apesar da vacinação contra a Covid-19 avançar no Brasil, o pesquisador da Fiocruz e um dos autores do Boletim InfoGripe, Marcelo Gomes afirmou à CNN que o cenário apresentado pela pesquisa ainda pode piorar, já que o país ainda registra um elevado número de mortes.  

“Nós estamos vendo um cenário de melhora na pandemia, mas o número de contaminações e de óbitos continua em um patamar elevado. Nós ainda estamos muito longe de uma situação de tranquilidade”, falou o pesquisador.  

Uma projeção feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também aponta que o país registra atualmente o menor crescimento populacional da história. A projeção mostra ainda que em 120 anos, a população do Brasil só cresceu.