Fiocruz não cumprirá meta de entregar 100 milhões de doses de vacina em julho

A Fundação garante a entrega total em agosto e afirma que o Programa Nacional de Imunizações (PNI) não sofrerá prejuízo

Isabelle Resende, da CNN, no Rio de Janeiro
12 de julho de 2021 às 20:46 | Atualizado 13 de julho de 2021 às 01:43

 

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou que fará a entrega de 100 milhões de doses da vacina de Oxford/Astrazeneca ao Ministério da Saúde, em agosto, um mês após o previsto.

Segundo a instituição, a mudança no cronograma se deve aos atrasos no recebimento dos primeiros lotes do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) e à capacidade produtiva maior que o estoque de matéria-prima.  

Em nota, a Fundação afirmou que o adiamento não trará impacto ao Programa Nacional de Imunizações, uma vez que a instituição já garantiu IFA adicional para a produção de mais cerca de 70 milhões de doses da vacina ao longo do segundo semestre. Também está no calendário do último trimestre deste ano o início da entrega dos imunizantes contra a Covid 100% nacional.  Até o fim de 2021, serão entregues 200 milhões de doses.  

 

Até esta segunda-feira (12), cerca de 65,9 milhões de doses da vacina Oxford/Astrazeneca produzidas pela Fiocruz já foram entregues ao Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, além dos 4 milhões de doses importadas prontas do Instituto Serum, da Índia. No total, esses 70 milhões de doses correspondem a mais de 50% de todas as vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde. Para 2022, está prevista ainda a produção de mais 180 milhões de doses da vacina, já com IFA totalmente nacional. 

Leia a íntegra da nota: 

"A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entregou até o momento (12/7) cerca de 70 milhões de vacinas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI), sendo 65,9 milhões produzidas pela Fiocruz e 4 milhões importadas prontas do Instituto Serum, da Índia, o que já corresponde a mais de 50% de todas as vacinas disponíveis no SUS. A Fiocruz esclarece que a AstraZeneca vem cumprindo o contrato no envio de lotes de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para a produção e que a instituição vem fazendo entregas semanais de maneira constante desde abril.  

Esse ajuste já estava previsto e não trará impacto para o PNI, uma vez que a instituição já garantiu IFA adicional para a produção de mais cerca de 70 milhões de doses da vacina ao longo do segundo semestre, além da produção a partir de IFA nacional também já prevista, garantindo a continuidade da produção e das entregas ao longo de todo o ano.

Para 2022, está prevista ainda a produção de mais 180 milhões de doses da vacina, já com IFA totalmente nacional."

Fiocruz entregará 100 milhões de doses da vacina de Oxford/Astrazeneca ao Ministério da Saúde em agosto
Foto: Tânia Rêgo - 27.jan.2021/Agência Brasil