Um em cada quatro brasileiros vive insegurança alimentar, diz ONU

No quadro Correspondente Médico, neurocirurgião Fernando Gomes explicou a importância de nutrientes para o desenvolvimento do cérebro de crianças

Raphael Florêncio, da CNN, em São Paulo
13 de julho de 2021 às 09:02

Na edição desta terça-feira (13) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre um novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) que mostra o aumento do número de brasileiros em situação de insegurança alimentar moderada ou grave. Uma a cada quatro pessoas no país corre o risco de ter que pular refeições, ficar por um dia ou mais sem comer.

O pediatra Paulo Telles falou sobre os riscos dessas condições, especialmente para as crianças. "Uma alimentação adequada na infância, com o fornecimento de todos os grupos alimentares, proteína, carboidrato, quantidade e qualidade adequada da gordura, ferro e vitaminas, vai permitir o desenvolvimento adequado da criança e seu cérebro", disse.

"As consequências de uma má alimentação na criança vão ser certamente permanentes. Isso é colocar em risco o desenvolvimento de um cérebro em formação, pois sabemos que 85% do crescimento cerebral acontece nos primeiros anos de vida", completou o especialista.

Fernando Gomes explicou que o cérebro de bebês se desenvolve intensamente até os dois anos. "Mas o cérebro continua crescendo nos próximos anos, com desenvolvimento de membranas que acabam envolvendo os neurônios, há a maturação de sinapses e dão pra gente habilidade cognitiva", disse o neurocirurgião.

"Se tem uma interferência num momento importante do desenvolvimento cerebral, você pode trazer alterações que podem não ser capazes de serem recuperadas no futuro. Falamos de algo muito grave, que traz muita preocupação, pois um em cada quatro pessoas é uma estatística alta", afirmou o médico.