Covid-19: o que as pessoas que tomaram as duas doses da vacina precisam saber

Especialistas recomendam àqueles que já se vacinaram continuar tomando as medidas de proteção e se testarem caso sintam alguns dos sintomas da doença

Kristen Rogers, da CNN
15 de julho de 2021 às 04:30
Fila de vacinação no Rio de Janeiro, em 23/04/2021
Fila de vacinação no Rio de Janeiro, em 23/04/2021
Foto: CNN Brasil

Receber as duas doses da vacina contra a Covid-19 dá uma sensação de liberdade. Por isso, pode ser um pouco confuso identificar possíveis sintomas da doença e saber o quanto é seguro se expor ao vírus depois da imunização completa.

Até o momento, todas as vacinas disponíveis nos Estados Unidos (Pfizer, Janssen e Moderna) protegem contra o novo coronavírus, incluindo a variante Delta.

Também não há nenhuma evidência de diminuição da imunidade conquistada por pessoas que se vacinaram em janeiro nem de risco aumentado de infecções breakthrough (infecções invasivas, em tradução livre), segundo Jay Butler, diretor-adjunto para doenças infeciosas do Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Infecções invasivas ou casos de Covid-19 entre pessoas que tomaram as duas doses da vacina são raros. Entre os 157 milhões de vacinados nos Estados Unidos até o dia 9 de julho, apenas 5.186 casos de hospitalização ou infecções invasivas fatais foram reportados ao CDC, e mais de 1500 foram de assintomáticos. Segundo o órgão, pode ser que haja subnotificação de casos de infecções invasivas.

As orientações do CDC para pessoas completamente vacinadas em relação à testagem e ao isolamento após contato com alguém que tenha Covid-19 são diferentes das orientações para a população em geral.

“Eles dizem que se você já tomou as duas doses da vacina, as chances de se infectar com o novo coronavírus são muito menores, assim como as de estar assintomático, pois mesmo infectado, sua carga viral será muito baixa e mais difícil de contaminar outras pessoas”, diz a analista médica da CNN Leana Wen, médica emergencista e professora de políticas de saúde da Universidade George Washington.

Segundo Wen, o problema pode ser a variante Delta, que parece estar presente em grandes quantidades em pessoas não vacinadas que foram contaminadas. Ainda não se sabe exatamente como a cepa afeta a neutralização do vírus pelas vacinas, de acordo com Albert Ko, professor do departamento de epidemiologia e doenças microbiais da Escola de Saúde Pública de Yale.

Saiba quais são as recomendações para quem já tomou as duas doses da vacina contra a Covid-19 ou está sentindo algum sintoma da doença:

Quando fazer o teste

As recomendações do CDC são que pessoas completamente vacinadas que tiveram contato com alguém contaminado e estão assintomáticas não precisam fazer teste nem quarentena, pois os riscos de infecção são baixos.

As exceções incluem profissionais de saúde e cuidadores. Quem tomou as duas doses e está assintomático ou suspeita que se expôs ao vírus, mas não fez o teste, deve observar os sintomas durante duas semanas.

Ao contrário do que diz o CDC, Wen aconselha às pessoas vacinadas que tiveram contato prolongado com indivíduos contaminados fazerem o teste, se isolarem por sete dias e depois testar novamente.

“As recomendações do CDC não consideram as nuances. Existe uma diferença entre ter um contato breve com uma colega de trabalho contaminado e morar ou cuidar de alguém que está com Covid-19”, diz Wen. 

A especialista também aconselha aos vacinados a não interagir com outras pessoas após exposição ao vírus. “Precisamos ter bom senso. Eu não gostaria que um colega de trabalho fosse ao escritório após passar a noite cuidado de alguém com Covid-19. Essa pessoa precisa mesmo interagir com outras?”, questiona.

Indivíduos não vacinados ou vacinados que tiverem sintomas devem ser testados, disse à CNN o secretário de saúde Vivek Murth. “Muitos estão achando que a pandemia acabou e que por isso não precisam ser testados, principalmente em regiões onde as taxas de vacinação estão baixas, que são as mais necessitam de testagem”, afirmou.

O que fazer se testar positivo depois de vacinado

Pessoas vacinadas que tiveram sintomas de Covid-19 nos últimos 10 dias devem ser testadas e isoladas por 10 dias se o teste der positivo, segundo recomendação do CDC. Se o teste der negativo, mas os sintomas persistirem, o que pode indicar alguma outra doença viral, a recomendação também é para não interagir com outras pessoas, complementa Wen.

Os sintomas da Covid-19 incluem (mas não são limitados a): febre, tosse, fadiga, dor muscular, dor de cabeça, perda de olfato e paladar, dor de garganta, congestão nasal, vômito, náusea e diarreia.

Se você foi exposto ao vírus ou mora com alguém que esteja com Covid-19, mesmo assintomático, deve fazer o teste mais rápido possível, diz Wen. “Mesmo se der negativo, mantenha o isolamento por sete dias e teste novamente”, conclui. 

“Se der negativo pela segunda vez, pode  suspender o isolamento, mas continue atento aos sintomas. As vacinas são muito eficazes contra hospitalização e morte, mas não custa ter precaução”, completa Ko.

O que acontece se você se contaminar

Pessoas vacinadas desenvolvem forma mais leves da Covid-19, quando infectadas, segundo Wen. Os sintomas podem ser desconfortáveis, mas dificilmente irão evoluir para hospitalização ou morte. As autoridades de saúde dos Estados Unidos reiteraram que mais de 99% das mortes por Covid-19 no país em junho foram entre pessoas não vacinadas.

“Quem não se vacinou pode acabar sendo hospitalizado, mas pessoas completamente imunizadas terão apenas dores musculares e febre por alguns dias”, diz Wen. “Isso acontece porque as vacinas diminuem a carga viral recebida, o que também é determinante para o contágio de outras pessoas”, completa Ko.

De acordo com os especialistas, existem boas evidências de que as vacinas protejam contra a transmissão ou consiga bloqueá-la. A questão agora é descobrir qual é a efetividade e a duração dos imunizantes contra a variante Delta.

Com informações de Jamie Gumbrecht e Maggie Fox, da CNN

(Texto traduzido. Leia o original, em inglês)