Rio deve vacinar todos os adultos contra a Covid-19 até o dia 18 de agosto

Prefeito também anunciou a aplicação da 3ª dose para idosos a partir de outubro, mas secretaria de saúde só irá fazer a aplicação com recomendação do MS

Mylena Guedes e Beatriz Puente*, da CNN, no Rio de Janeiro
15 de julho de 2021 às 21:08 | Atualizado 15 de julho de 2021 às 23:13
Movimentação no Saara, centro do Rio de Janeiro, em meio à pandemia de Covid-19
Movimentação no Saara, centro do Rio de Janeiro, em meio à pandemia de Covid-19
Foto: João Gabriel Alves/Enquadrar/Estadão Conteúdo (9.abr.2021)

Com o anúncio de uma nova antecipação do calendário, a cidade do Rio de Janeiro termina a vacinação contra a Covid-19 de todos os adultos no dia 18 de agosto. Em uma transmissão ao vivo feita na noite desta quinta-feira (15), o prefeito Eduardo Paes e o secretário de saúde, Daniel Soranz, anunciaram novidades na imunização. 

Na divulgação anterior, os jovens de 18 anos só receberiam a primeira dose do imunizante no dia 30 de agosto.  

“Em agosto entra o contrato da Pfizer, serão um milhão de doses por dia enviadas ao Ministério da Saúde, o que possibilita esse adiantamento a partir do próximo mês”, afirma Paes.  

Os adolescentes a partir dos 12 anos também poderão procurar os postos de saúde a partir do dia 23 de agosto.   Por enquanto, apenas ao imunizante da Pfizer tem autorização para ser aplicado nessa faixa etária. O calendário tem previsão para terminar no dia 10 de setembro, com uma grande repescagem a partir do dia 1°.  

“Esse calendário dos adolescentes estamos sendo conservadores. Dependendo das entregas, ainda dá para adiantar um pouco mais”, disse o prefeito.  

Dose de reforço para idosos 

Na live, a prefeitura anunciou, ainda, que pretende aplicar a dose de reforço para idosos com mais de 80 anos no mês de outubro. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde ressaltou, posteriormente, que a dose de reforço só ocorrerá se houver evidência científica sólida e recomendação do Ministério da Saúde. Isso porque, até o momento, a 3° dose não é indicada. 

Se for mantida a aplicação do reforço, em novembro será a vez dos maiores de 70 e, para os idosos com mais de 60 anos, ela será aplicada em dezembro. A ideia, segundo o prefeito do Rio, é fazer um reforço de imunização para os idosos, que fazem parte do grupo de risco da doença.  

O secretário Daniel Soranz ressaltou que a vacinação da população já surte efeitos positivos. Há seis semanas a capital fluminense está sem fila de espera para internação por Covid-19. Além disso, a taxa de ocupação dos leitos caiu de 96% para 77%.  

“Após o avanço da vacinação, o Rio apresentou redução de pacientes internados. No final de junho eram 1002 pacientes e hoje são 588”, destaca Soranz.  

Atualmente, a capital do Rio conseguiu imunizar 68% da população adulta com a primeira dose ou dose única, contabilizando mais de 3 milhões de pessoas vacinadas no município.  

Sob supervisão de Helena Vieira