Estudo clínico de terceira dose da AstraZeneca terá 10 mil voluntários no Brasil

Cinco estados estarão representados na pesquisa, que avaliará segurança, eficácia e imunogenicidade

Stéfano Salles e Thayana Araújo, da CNN, no Rio de Janeiro 
19 de julho de 2021 às 11:09 | Atualizado 19 de julho de 2021 às 11:31
Profissional da Saúde prepara dose de vacina da AstraZeneca contra Covid-19
Profissional da Saúde prepara dose de vacina da AstraZeneca contra Covid-19
Foto: Yves Herman - 15.mar.2021/Reuters

Cerca de 10 mil pessoas vão participar do estudo clínico de terceira dose da vacina de Oxford/AstraZeneca, autorizado nesta segunda-feira (19) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em cinco estados: Bahia (1.500 voluntários), Rio de Janeiro (1.500 voluntários), Rio Grande do Sul (3.000 voluntários), Rio Grande do Norte (1.500 voluntários) e São Paulo (2.500 voluntários).  

A aprovação garantiu a continuidade da pesquisa que já havia provado à agência a efetividade do imunizante do laboratório anglo-sueco. 

O objetivo do estudo é avaliar a segurança, a eficácia e a imunogenicidade da terceira dose. Coordenadora dos estudos clínicos da vacina no Brasil, a médica e professora da Universidade de Oxford Sue Ann explicou o que a aprovação representa anunciada nesta segunda-feira (19) representa: 

“Fizemos esse estudo com quatro mil pessoas, que serão imunizadas um ano depois de terem recebido a segunda dose, o que já aconteceu. O objetivo é avaliar a persistência de anticorpos, um ano depois, e os efeitos da terceira dose aplicada”, afirmou. 

Participarão do estudo voluntários com idades entre 18 e 55 anos, e não haverá pessoas com comorbidades ou gestantes entre elas. Essas pessoas receberão exatamente o mesmo imunizante aplicado nas duas primeiras doses, que integra o Plano Nacional de Imunizações (PNI). A vacina será aplicada até 13 meses depois da segunda dose. 

Segundo a Anvisa, o voluntário não saberá se tomou vacina o placebo. No entanto, após o resultado, o teste deixará de ser cego e todos os participantes que receberam placebo serão convidados à aplicação da terceira dose. 

Para o teste que provou a efetividade do imunizante, em 2020, os voluntários foram divididos em dois grupos: um recebeu a vacina da AstraZeneca, e outro, uma contra meningite.