Agência dos EUA autoriza reforço da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos

Dados da Pfizer mostraram que uma terceira dose da vacina aumentou os anticorpos em 36 vezes nessa faixa etária

Myke Sena/MS

Amanda Sealyda CNN

Ouvir notícia

A Food and Drug Administration (FDA), órgão dos Estados Unidos semelhante à Anvisa, concedeu autorização de uso emergencial para uma dose de reforço da vacina da Pfizer contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos pelo menos cinco meses após a conclusão do esquema primário de vacinação.

A Pfizer fez a solicitação no final de abril, citando dados da empresa que mostraram que uma terceira dose de vacina aumentou os anticorpos de combate à Ômicron em 36 vezes nessa faixa etária.

“Embora tenha ocorrido em grande parte que a Covid-19 tenda a ser menos grave em crianças do que em adultos, a onda da Ômicron mostrou mais crianças adoecendo e sendo hospitalizadas, e as crianças também podem experimentar efeitos de longo prazo, mesmo tendo inicialmente doença leve”, disse o comissário da FDA, Robert Califf, em um comunicado à imprensa nesta terça-feira (17).

“A FDA está autorizando o uso de uma única dose de reforço da vacina Pfizer-BioNTech para crianças de 5 a 11 anos de idade para fornecer proteção contínua contra a Covid-19″.

Estudos do Departamento de Saúde do Estado de Nova York e dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos apontaram que a eficácia de duas doses da vacina da Pfizer para crianças de 5 a 12 anos caiu substancialmente durante o surto de Ômicron, caindo de 68% para cerca de 12% contra infecção. No entanto, duas doses continuaram a fornecer proteção contra doenças mais graves, resultando em cuidados urgentes ou hospitalizações.

As autoridades de saúde pública pediram aos norte-americanos que se mantenham atualizados com suas vacinas contra a Covid-19, incluindo todas as doses de reforço recomendadas, como a melhor maneira de proteger a si mesmos e às pessoas ao seu redor.

Uma análise recente da CNN dos dados do CDC mostrou que, para aqueles que completaram o esquema vacinal e receberam reforço em fevereiro, o risco de morte por Covid-19 era 20 vezes menor do que para pessoas não vacinadas com 12 anos ou mais.

O Comitê Consultivo de Práticas de Imunização do CDC se reunirá na quinta-feira (19) para discutir os reforços da vacina de Covid-19. Embora a agenda da reunião não tenha sido divulgada, uma votação está agendada, de acordo com o Registro Federal.

A decisão de terça-feira significa que qualquer pessoa com 5 anos ou mais agora é apta a receber pelo menos uma dose de reforço.

Aqueles com 50 anos ou mais e pessoas com 12 anos ou mais que apresentam imunocomprometimento são elegíveis para duas doses de reforço no país.

A Moderna também solicitou autorização da FDA para uma segunda dose de reforço para todos com 18 anos ou mais, mas uma decisão ainda não foi tomada em relação a esse pedido.

Em atualização

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN