Agência reguladora dos EUA recomenda dose de reforço a todos os adultos

Recomendação é para reforço com as vacinas da Pfizer e Moderna contra a Covid-19 seis meses após as duas primeiras doses

Jamie Gumbrecht e Jacqueline Howardda CNN

Ouvir notícia

Os consultores de vacinas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA votaram por unanimidade, 11-0, nesta sexta-feira (19), para recomendar doses de reforço da vacina Covid-19 da Pfizer / BioNTech e Moderna para todos os adultos nos Estados Unidos – todos com 18 anos ou mais – seis meses depois de terminarem as duas primeiras doses.

Os membros do Comitê Consultivo em Práticas de Imunização também votaram em uma segunda questão, reforçando a recomendação de dizer que pessoas com 50 anos ou mais devem receber uma dose de reforço da vacina.

Os votos seguem a decisão da Food and Drug Administration dos EUA , feita na sexta-feira anterior, para autorizar reforços das vacinas Pfizer / BioNTech e Moderna Covid-19 para todos os adultos.

Anteriormente, os reforços foram autorizados para qualquer pessoa com 65 anos ou mais que foi vacinada com as vacinas Pfizer ou Moderna, há pelo menos seis meses, e para certos adultos com alto risco de infecção ou de doença grave.

“Ao longo do curso da pandemia Covid-19, o FDA trabalhou para tomar decisões oportunas de saúde pública conforme a pandemia evoluía. As vacinas contra a Covid-19 provaram ser a melhor e altamente eficaz defesa. Autorizando o uso de um dose única de reforço da vacina Moderna ou Pfizer-BioNTech para indivíduos com 18 anos e mais velhos ajuda a fornecer proteção contínua contra a Covid-19, incluindo as consequências graves que podem ocorrer, como hospitalização e morte”, afirmou a Dra. Janet Woodcock, comissária em exercício no FDA.

‘Todos são elegíveis’

Expandir a elegibilidade para reforço para todos os adultos nos Estados Unidos pode não mudar a logística em torno da obtenção de vacinas.

O fornecimento de vacinas para reforços já existe em muitos lugares. Não há “etapas extras” no lado administrativo da implantação de reforço que precisa acontecer, disse Adriane Casalotti, chefe de governo e relações públicas da Associação Nacional de Funcionários de Saúde do Município e do Condado, à CNN.

“Olhando nacionalmente, temos vacina suficiente. Há muitos lugares que têm consultas. Obviamente, isso varia um pouco dependendo de onde você mora geograficamente porque há mais demanda em algumas áreas do que em outras”, disse Casalotti à CNN.

“Mas, dito isso, acho que a preparação principal está no lado da comunicação”, acrescentou Casalotti. “A comunicação para os provedores de saúde locais e departamentos de saúde pública é que agora você não precisa se preocupar com a elegibilidade se alguém perguntar se precisa de um reforço. Esta é a informação – todos são elegíveis após seis meses.”

Mais de 32 milhões de pessoas nos Estados Unidos – cerca de 16% dos que estão totalmente vacinados – receberam uma dose de reforço da vacina Covid-19, de acordo com dados do CDC.

Cerca de 18 milhões de idosos receberam uma dose de reforço da vacina Covid-19, de acordo com dados do CDC, sendo responsável por mais da metade de todas as doses de reforço administradas e aumentando a resposta imunológica para mais de um terço dos idosos totalmente vacinados.

O futuro dos reforços

Os EUA agora têm uma média de 94.943 novos casos de Covid-19 por dia, de acordo com a Universidade Johns Hopkins – um aumento de 31% em relação à semana passada e de volta aos níveis vistos pela última vez há mais de um mês. Os estados do Meio-Oeste respondem por mais de um terço (38%) dos novos casos.

Há a preocupação de que o inverno, que leva as pessoas para dentro de casa e as reuniões nos feriados, possa levar a ainda mais casos.

“Certamente queremos que as pessoas estejam tão bem protegidas quanto poderiam estar durante a temporada”, disse a Dra. Marci Drees, diretor de prevenção de infecções e epidemiologista hospitalar da ChristianaCare.

“Acho que estamos em um ponto em que, para muitas pessoas que foram vacinadas no inverno e na primavera passada, agora seria o momento em que sua proteção estaria diminuindo”, disse.

Depois que as pessoas recebem suas doses de reforço da vacina contra a Covid-19, não fica claro quando elas podem precisar de outra dose da vacina – se precisam.

“Essa certamente é a pergunta de um milhão de dólares. Sabemos que os impulsionadores aumentam a imunidade das pessoas de volta para 90% a 95% no curto prazo. Não sabemos quanto tempo isso vai durar”, afirma Drees.

“De certa forma, estamos traçando um novo caminho – e muito disso é impulsionado pela possibilidade de obtermos imunidade suficiente na população para que possamos realmente interromper a transmissão”, disse Drees. “Sabemos que os reforços não vão acabar com a pandemia. Eles vão ajudar e evitar que as pessoas adoeçam, mas realmente ainda precisamos forçar a introdução da primeira e da segunda doses nas pessoas também.”

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Mais Recentes da CNN