Amazonas confirma 44 casos de rabdomiólise, conhecida como ‘doença da urina preta’

Cidade de Itacoatiara, que concentra o maior número de casos, já registrou uma morte causada pela doença

FVS-AM notificou mais 11 casos da doença no estado
FVS-AM notificou mais 11 casos da doença no estado Divulgação FVS-AM

Anna Gabriela Costada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O Amazonas registrou nesta terça-feira (31) mais 11 casos de rabdomiólise, síndrome conhecida como doença da urina preta. No total, o estado já tem 44 casos da doença, sendo 34 no município de Itacoatiara, quatro em Silves, dois em Manaus, dois em Parintins, um em Caapirange e outro na cidade de Autazes.

A cidade de Itacoatiara, que concentra o maior número de casos, já registrou uma morte causada pela doença.

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, das 11 novas notificações de casos de rabdomiólise, cinco são de Itacoatiara, quatro de Silves e duas de Parintins.

“Nesta segunda-feira (30), seguem internadas 10 pessoas, todas de Itacoatiara e adultos. Os demais pacientes receberam alta hospitalar”, informou a FVS-RCP.

Doença da urina preta

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), a rabdomiólise é uma síndrome clínico-laboratorial que decorre da lesão muscular com a liberação de substâncias intracelulares para a circulação sanguínea.

“Ocorre normalmente em pessoas saudáveis, na sequência de traumatismos, atividade física excessiva, crises convulsivas, consumo de álcool e outras drogas, infecções e ingestão de alimentos contaminados, que incluem o pescado. O quadro clínico da doença pode incluir elevações assintomáticas das enzimas musculares séricas (creatinina-fosfoquinase – CPK)”, complementa a Fundação.

Mais Recentes da CNN