Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ameba “comedora de cérebros” é nova preocupação no Norte dos EUA, alertam autoridades

    Aumento da incidência nos estados do Norte causa preocupação de que a espécie Naegleria fowleri esteja se expandindo devido às mudanças climáticas

    Pesquisadores enfatizam que o aumento da incidência em estados do Norte combinado à falta de preparo de profissionais de saúde pública pode atrasar o diagnóstico e o tratamento
    Pesquisadores enfatizam que o aumento da incidência em estados do Norte combinado à falta de preparo de profissionais de saúde pública pode atrasar o diagnóstico e o tratamento Kateryna Kon/Science Photo Library/Getty Images

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    Autoridades de saúde pública de Ohio, nos Estados Unidos, alertam para os riscos da ameba “comedora de cérebros”. Em um estudo publicado no Ohio Journal of Public Health, especialistas afirmam que a espécie Naegleria fowleri representa preocupação especialmente para os estados do Norte do país.

    “O aumento da incidência dessa doença rara, mortal e muitas vezes mal diagnosticada nos estados do Norte causa preocupação de que a N. fowleri esteja se expandindo para o Norte devido às mudanças climáticas, representando uma ameaça maior à saúde humana em novas regiões onde a PAM [infecção cerebral] ainda não foi documentada”, dizem os autores.

    O artigo descreve que, historicamente, os casos de N. fowleri nos EUA ocorrem nos estados do Sul. Contudo, dados recentes indicam uma incidência aumentada desde 2010 em estados do Norte, como Minnesota, Indiana e Missouri. A incidência de infecções são historicamente raras, tendo sido relatados 138 casos de inflamação cerebral no país de 1962 a 2015. Os pacientes eram predominantemente do sexo masculino (76%) e menores ou iguais a 18 anos de idade (83%).

    Dados de mudanças climáticas indicam aumentos consistentes nas temperaturas das águas superficiais, aumentando a probabilidade de que a N. fowleri represente uma ameaça maior à saúde humana em regiões com histórico de ocorrência e novas localidades.

    “Apesar de sua ocorrência rara, a gravidade da doença e os prognósticos ruins dos pacientes tornam o aumento da incidência em climas do Norte uma preocupação de saúde emergente”, alertam os especialistas.

    Os pesquisadores enfatizam que o aumento da incidência em estados do Norte combinado à falta de preparo de profissionais de saúde pública pode atrasar o diagnóstico e o tratamento oportuno.

    “O aumento da incidência de N. fowleri em climas do Norte é apenas uma das muitas maneiras pelas quais a mudança climática ameaça a saúde humana e merece uma nova instrução dos profissionais de saúde. Os profissionais de saúde, especialmente aqueles que trabalham em climas do Norte, devem estar preparados para o aumento de doenças transmitidas pela água e por vetores, problemas de qualidade do ar, eventos climáticos extremos, impactos na produção de alimentos e mortes e doenças relacionadas à temperatura”, alertam.

    Naegleria fowleri é uma ameba de vida livre, comumente encontrada em todo o mundo em água doce quente (como lagos, rios e fontes termais) e no solo. Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos EUA, é a única espécie de Naegleria conhecida por infectar pessoas.

    Na maioria das vezes, Naegleria fowleri vive em habitats de água doce alimentando-se de bactérias. No entanto, em casos raros, a ameba pode infectar humanos entrando pelo nariz durante atividades relacionadas à água. Uma vez no nariz, a ameba segue para o cérebro e causa uma infecção cerebral grave chamada meningoencefalite amebiana primária (PAM), que geralmente é fatal, segundo o CDC.