Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Anvisa alerta sobre circulação de fake news sobre vacina bivalente contra Covid-19

    Informações descontextualizadas e frases isoladas de documentos sobre a aprovação da vacina têm sido utilizados para alimentar as notícias falsas sobre o imunizante, afirma a Anvisa

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), alertou sobre a circulação de fake news sobre a vacina bivalente contra a Covid-19 da Pfizer.

    Em nota, a Anvisa aponta que informações descontextualizadas e frases isoladas de documentos sobre a aprovação da vacina têm sido utilizados para alimentar as notícias falsas sobre o imunizante.

    A Anvisa destaca que a vacina bivalente teve sua segurança e eficácia comprovadas por meio de dados técnicos e científicos, atendendo todo o rigor da regulamentação. Além disso, a versão bivalente foi desenvolvida sobre a mesma plataforma da vacina monovalente e equivale a uma atualização do imunizante, de acordo com a Anvisa.

    O uso emergencial de duas vacinas bivalentes da Pfizer foi aprovado por unanimidade pelos diretores da Anvisa em novembro de 2022. As vacinas bivalentes contam com cepas atualizadas contra o coronavírus, incluindo a proteção contra a variante Ômicron.

    Segundo a Anvisa, no momento da aprovação, a totalidade dos dados permitiram concluir que a vacina bivalente é tão ou mais eficaz do que a versão monovalente, que já possuía eficácia conhecida. Os dados da bivalente incluíram as avaliações não clínicas (realizadas em laboratório, com animais) e avaliações clínicas (realizadas com voluntários humanos) realizadas com a vacina bivalente, combinados com o extenso conhecimento já existente sobre a vacina monovalente.

    “A vacina bivalente demonstrou ser tão ou mais imunogênica que a versão anterior, ou seja, capaz de gerar uma resposta imune robusta, com o desenvolvimento de anticorpos”, afirmou a Anvisa em nota. “A leitura do parecer de aprovação da vacina bivalente não pode ser feita de forma isolada ou em fragmentos, sem o devido conhecimento técnico da matéria e das evidências científicas disponíveis nos documentos públicos divulgados pela Anvisa”, completa.

    A Anvisa informa ainda que a conclusão de eficácia foi embasada em métodos científicos consolidados, utilizando os dados existentes sobre a resposta imune e a eficácia da vacina monovalente e da resposta imune demonstrada pela vacina bivalente.

    Ampliação do público-alvo

    O Ministério da Saúde ampliou a vacinação com a dose de reforço bivalente para toda a população acima de 18 anos na segunda-feira (24). A recomendação tem o objetivo de reforçar a proteção contra a doença e ampliar a cobertura vacinal em todo país.

    Em um estudo, o aumento da proteção contra hospitalização ou morte foi observado independentemente da idade ou de as pessoas terem recebido anteriormente um reforço diferente.

    Outro estudo demonstrou que, para a vacina bivalente BA.4/BA.5, a eficácia vacinal no período de 7 a 29 dias após a vacinação foi de 83% e de 81% no período de 60 a 89 dias após a vacinação.