Anvisa autoriza importação excepcional da Sputnik V por mais 7 estados

Foram autorizados quantitativos reduzidos de doses do imunizante russo a serem importadas para vacinação de 1% da população de cada um dos estados

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu autorização nesta terça-feira (15) para a importação excepcional da vacina Sputnik V pelos estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

Assim como deliberado na aprovação do imunizante russo, realizada durante a 9ª reunião da diretoria colegiada da agência, a importação aprovada nesta quarta-feira também deverá ser realizada sob condições controladas. Para isso, foram estabelecidas as mesmas responsabilidades e condicionantes aos requerentes.

As principais condições preveem que a vacina deverá ser utilizada apenas na imunização de indivíduos adultos saudáveis; todos os lotes das vacinas importados somente poderão ser destinados ao uso após liberação pelo INCQS; a Anvisa receberá relatórios periódicos de avaliação benefício-risco da vacina; a vacina deverá ser utilizada em condições controladas com condução de estudo de efetividade, com delineamento acordado com a Anvisa e executado conforme Boas Práticas Clínicas; a Anvisa poderá, a qualquer momento, suspender a importação, distribuição e uso das vacinas importadas; dentre outros aspectos destacados no Voto do relator.

Na deliberação da Anvisa, também foram autorizados quantitativos reduzidos de doses a serem importadas para vacinação de 1% da população de cada um dos estados, o que permitirá o adequado monitoramento e ação imediata da Agência, caso seja necessário.

Veja os quantitativos da Sputnik V para os estados: 

  • Rio Grande do Norte – 71.000 doses;
  • Mato Grosso – 71.000 doses;
  • Rondônia – 36.000 doses;
  • Pará – 174.000 doses;
  • Amapá – 17.000 doses;
  • Paraíba – 81.000 doses;
  • Goiás – 142.000 doses.
    Frascos com vacina contra Covid-19 Sputnik V
    Frascos com vacina contra Covid-19 Sputnik V
    Foto: Akhtar Soomro/Reuters

Mais Recentes da CNN