Ovos de Páscoa veganos: especialistas dão dicas do que observar na escolha

Nutricionistas recomendam atenção à lista de ingredientes, que inclui adoçantes naturais, manteiga de cacau, leite de arroz ou coco, baunilha, entre outros

Nutricionistas afirmam que é possível consumir os doces de forma moderada, sem prejuízos para a saúde
Nutricionistas afirmam que é possível consumir os doces de forma moderada, sem prejuízos para a saúde Betsie Van der Meer/Getty Images

Lucas Rochada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A variedade de ovos de Páscoa tem se tornado cada vez maior com o objetivo de atrair diversos públicos, incluindo pessoas com restrições alimentares, indivíduos com alergia e quem opta por diferentes dietas, como os veganos, que não consomem produtos de origem animal.

Embora os ovos de Páscoa veganos possam parecer mais saudáveis à primeira vista, a consulta à concentração dos ingredientes utilizados na confecção pode revelar poucas diferenças entre eles e os ovos de chocolate tradicionais.

Especialistas consultados pela CNN recomendam atenção aos itens utilizados na fabricação dos doces, com o objetivo de selecionar aqueles mais benéficos para a saúde.

Ingredientes comuns dos ovos veganos

A nutricionista Bruna Lima, do Centro Especializado de Obesidade e Diabetes (COD), do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, afirma que os ovos de Páscoa veganos são opções viáveis para quem segue esse tipo de dieta ou para pessoas que tenham alergia à proteína do leite ou intolerância à lactose.

“O ovo de Páscoa vegano não tem nada de origem animal, então não vai ter o leite, por exemplo. Só que às vezes são utilizados ingredientes substitutos, incluindo algumas gorduras, como a gordura do coco”, diz.

Segundo a nutricionista, no momento da escolha deve-se prestar atenção na porcentagem de gorduras. No lugar do açúcar refinado comum, podem ser utilizados outros tipos, como o açúcar de coco ou adoçantes naturais.

“Você pode retirar o açúcar, mas ainda está usando algum tipo de adoçante como o xilitol, por exemplo, que é natural, mas não deixa de ser um adoçante. Algumas pessoas não toleram ele bem, porque pode causar algum tipo de intolerância gastrointestinal. Além de ser um dos adoçantes mais caros que temos no mercado”, pondera Bruna.

Em relação às calorias, a nutricionista do centro de oncologia do Hospital Sírio-Libanês, Erika Yuri, afirma que nem sempre as opções veganas serão menos calóricas do que as tradicionais.

“Tudo depende dos ingredientes utilizados na composição desse ovo de Páscoa. Geralmente, os ovos veganos têm uma lista menor que os não veganos. Eles são feitos a partir do cacau ou da massa de cacau, com uma porcentagem que varia bastante”, afirma.

Os ovos de Páscoa veganos podem conter ainda manteiga de cacau ou de amêndoas, leite de arroz, leite de coco em pó, baunilha e açúcares.

“A vantagem principal seria atender ao público vegano. Orientamos a observação dos ingredientes e tabelas nutricionais para, na hora da escolha, optar pelo melhor produto. Quanto menor o número de ingredientes, melhor”, diz Erika.

A especialista também recomenda atenção à ordem dos ingredientes na lista. “Temos ovos de Páscoa veganos cujo primeiro ingrediente pode ser o açúcar ou o cacau. O primeiro que aparece nessa listagem é o que temos em maior quantidade no produto, então essa ordem também é importante”, explica.

A nutricionista Ana Luisa Duque Vieira, da Pineapple Medicina Integrada, afirma que os ovos mais saudáveis são aqueles que excluem da composição itens como açúcar (principalmente o refinado), gorduras hidrogenadas, soja, glúten ou corantes.

“Na hora de escolher o ovo de Páscoa, vegano ou tradicional, observe se o chocolate tem alto teor de cacau, acima de 70%, menos açúcares e mais antioxidantes. Tenha atenção ao primeiro ingrediente, que não deve ser açúcar nem gordura hidrogenada. Uma boa dica também é dar preferência aos artesanais, garantindo a procedência dos ingredientes e valorizando a economia local”, destaca.

Moderação é a palavra-chave

Os ovos de Páscoa fazem parte da cultura brasileira, especialmente entre crianças e jovens. As nutricionistas afirmam que é possível consumir os doces de forma moderada, sem prejuízos para a saúde.

“É importante ter parcimônia, saber que é uma época do ano específica. Então, consumir os chocolates com moderação, respeitando a individualidade de cada um, é algo possível”, diz Erika.

A nutricionista Bruna Lima recomenda fracionar o consumo dos ovos de Páscoa ao longo dos dias e semanas. “O pai e a mãe podem congelar os ovos de Páscoa, dividindo o consumo aos pouquinhos, com moderação não tem problema nenhum. Além de explicar para a criança a importância de se comer verduras, legumes, arroz, feijão e proteínas”, completa.

Mais Recentes da CNN