Anvisa recebe documentos pendentes e libera 2 milhões de doses da Janssen

As doses doadas pelos Estados Unidos estavam no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), desde sábado (26), sem serem distribuídas

Doses da Janssen
Doses da Janssen Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Governo do Estado de Santa Catarina

Victoria Cócolo e Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou um carregamento de mais de 2 milhões de doses da vacina da Janssen, empresa do grupo Johnson & Johnson, que foram doadas ao Brasil pelo governo dos Estados Unidos.

As doses estavam no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), desde sábado (26), sem serem distribuídas. A vacina da Janssen é a única, até o momento, que é aplicada em apenas uma dose. Portanto, as doses liberadas nesta quarta serão capazes de imunizar 2 milhões de pessoas.

Mais cedo, o Ministério da Saúde havia dado um prazo de 48 horas para a Anvisa fazer a liberação. Em resposta, a agência afirmou que o atraso na distribuição não era em razão dela, mas sim pela falta na entrega de documentos necessários para a liberação, situação que o governo federal diz ter sido resolvida.

“A Anvisa recebeu no final da tarde desta quarta-feira (30/06) os documentos complementares relativos à carga de 2.052.350 doses da vacina da Janssen e realizou a liberação para que as mesmas possam ser distribuídas. Não há mais documentos pendentes de apresentação”, afirma a pasta da Saúde, em nota.

No total, os Estados Unidos doaram ao Brasil um total de 3 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19.

A liberação do lote foi cobrada na parte da manhã pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Em entrevista coletiva, Doria afirmou que as 678 mil doses desta doação americana que serão repassadas ao Estado de São Paulo estão dentre as 2 milhões agora liberadas pela Anvisa.

Mais Recentes da CNN