Após passar de 500 mil mortos, Brasil se aproxima de 18 milhões de casos

Nas últimas 24 horas, o país registrou 1.025 mortes e 44.178 novos casos da doença, alcançando o total de 501.825 óbitos e 17.927.928 infectados

Lucas Rocha, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil atingiu neste domingo (20) a marca de 501.825 mortes e 17.927.928 casos de Covid-19. Segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), nas últimas 24 horas foram registradas 1.025 mortes e 44.178 novos casos da doença. 

A média móvel de mortes ficou em 2.061 neste domingo, o número corresponde ao balanço de mortes registradas nos últimos sete dias. O índice vem apresentando alta no mês de junho.

Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, zona Norte do Rio de Janeiro
Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, zona Norte do Rio de Janeiro
Foto: Jorge Hely/Framephoto/Estadão Conteúdo

Ritmo da vacinação

O Brasil continua a ser o 67º no ranking global de aplicação de doses da vacina contra Covid-19 neste domingo (20), na relação a cada 100 habitantes, posição que ocupa desde quinta-feira (17). O país, que iniciou a vacinação há cinco meses, já esteve na 56ª posição desse ranking e, na última semana, estava em 68º.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou neste domingo, em Paquetá, no Rio de Janeiro, que “se compromete a vacinar toda a população brasileira acima de 18 anos até o final do ano”, com as duas doses necessárias contra a Covid-19. “Esse é o nosso passaporte para a nossa liberdade, para uma vida nova”, disse o ministro em atividade do projeto de vacinação em massa realizado na Ilha.

Especialista alerta para falta de doses em municípios

Embora estados e capitais estejam antecipando as datas de vacinação, a vice-presidente do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), Cristiane Pantaleão, disse em entrevista à CNN, que ainda faltam doses de vacina na maioria dos municípios brasileiros.

“A gente sabe que a maior parte dos municípios do país ainda não tem vacinas todos os dias disponíveis. Isso a gente acompanha diariamente. O Conasems também acompanha de maneira tripartite a distribuição das doses”, afirmou.

Com informações de Juliana Alves, Tamires Vitorio, Julyanne Jucá e Vital Neto, da CNN, em São Paulo.

Mais Recentes da CNN