Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Atletas de fim de semana” têm menor risco de morte precoce, diz estudo

    Exercício físico, mesmo que compactado em alguns dias, pode ajudar a evitar doenças e melhorar a saúde

    Parque Ibirapuera, em São Paulo
    Parque Ibirapuera, em São Paulo Rovena Rosa/Agência Brasil

    Madeline Holcombeda CNN

    O exercício físico aos finais de semana pode ajudar a evitar doenças, mesmo que os treinos sejam compactados em alguns dias, avaliou um novo estudo.

    Os adultos devem fazer 150 minutos de atividade física e dois dias de fortalecimento muscular por semana, de acordo com as Diretrizes de Atividade Física para Americanos. Se você tentar espalhar isso ao longo da semana junto com o trabalho, limpeza e outras tarefas, pode parecer muito.

    As pessoas que são fisicamente ativas – seja apenas nos fins de semana ou com mais frequência – têm taxas de mortalidade mais baixas do que as pessoas inativas, revelou um estudo publicado na revista JAMA Internal Medicine.

    Não houve grande diferença na mortalidade por “todas as causas” ou “causas específicas” entre aqueles que se exercitam regularmente e os “atletas de fim de semana”, desde que eles estivessem recebendo a mesma quantidade de atividade física moderada a vigorosa em uma semana, disse o autor do estudo, Leandro Rezende, professor adjunto de epidemiologia do departamento de medicina preventiva da Universidade Federal de São Paulo no Brasil.

    “Esta é uma boa notícia, considerando que o padrão de atividade física do atleta de fim de semana pode ser uma opção mais conveniente para muitas pessoas atingirem os níveis recomendados”, complementou Rezende.

    Contanto que você esteja fazendo os 150 minutos de exercício que os adultos precisam a cada semana – ou mais – malhar sempre que puder pode ajudar a diminuir sua taxa de mortalidade, ponderou estudo.

    Os resultados podem ajudar as autoridades de saúde pública a promover a atividade física mesmo entre pessoas ocupadas e apoiar a ideia de que “cada minuto de atividade física conta”, afirmou Eric Shiroma, cientista da equipe do Instituto Nacional do Envelhecimento.

    A colaboradora de fitness da CNN, Dana Santas, muitas vezes ouve os clientes falarem sobre suas agendas malucas durante a semana como uma razão para não se exercitar.

    “Compreensivelmente, eles não querem sacrificar o sono tão necessário acordando cedo ou perder um tempo para o jantar em família indo à academia logo após o trabalho”, observou Santas, especialista em força e condicionamento e treinadora de mente e corpo em esportes profissionais.

    “Essas são preocupações válidas, pois todos precisamos dormir para funcionar. E os jantares em família não apenas representam tempo de qualidade, mas também aumentam as chances de uma alimentação saudável em vez de comer fast food“, destacou.

    Outros impactos na saúde

    A redução da taxa de mortalidade com o exercício ao final de semana é uma ótima notícia para as pessoas com dias ocupados, disse Santas. Mas há vantagens em se exercitar durante a semana.

    O estudo não levou em conta o sono, lesões ou impactos na saúde mental do exercício diário e regular, por isso é importante manter isso em mente, alertou a especialista.

    “Os corpos são projetados para o movimento. Ser sedentário durante toda a semana pode aumentar a suscetibilidade a lesões se você se esforçar demais nos treinos de fim de semana”, explicou.

    Com isso em mente, é ainda mais importante para os atletas de fim de semana se certificarem de que estão se aquecendo adequadamente e prestando atenção à forma.

    Um estudo de 2018 também descobriu que o exercício desempenha um grande papel na saúde mental. Os participantes do estudo que relataram se exercitar tiveram cerca de 1,5 dias a menos de “saúde mental auto-relatada como ruim” no mês passado em comparação com aqueles que não se exercitaram.

    E uma grande parte de muitos aspectos da saúde é dormir bem. Fazer exercícios diários suficientes pode ajudar nossos corpos a desejar descansar naturalmente no final do dia, ressalta Santas.

    Esse exercício diário para ajudar no sono não precisa necessariamente deixá-lo suado e sem fôlego, mas você deve se esforçar para aumentar a respiração e a frequência cardíaca, acrescentou.

    Isso pode significar dedicar 20 a 25 minutos a uma caminhada rápida, um passeio de bicicleta ou exercícios de peso corporal para dormir melhor.

    Shiroma recomendou cinco maneiras de manter a atividade física como parte de sua vida: Encontre pequenas ações, como subir escadas; exercite-se da maneira que você gosta; faça junto de amigos; fazer e recompensar metas; e recomece gradualmente quando você sair de sua rotina.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original