Brasil recebe mais de 1 milhão de doses da vacina da Pfizer neste sábado (28)

Nesta semana, foram entregues 5 milhões de vacinas do imunizante ao país

Vacina da Pfizer contra a Covid-19
Vacina da Pfizer contra a Covid-19 Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Lucas Rochada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil recebeu na tarde deste sábado (28) uma nova remessa de doses de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer. No total, desembarcaram 1.076.400 vacinas no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Nesta semana, foram entregues 5 milhões de doses do imunizante ao país.

As vacinas serão entregues ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, responsável pela distribuição para estados e municípios. Até o momento, mais de 49 milhões de doses da farmacêutica foram distribuídas no país, segundo o Ministério da Saúde.

Vacina da Pfizer será utilizada para terceira dose

O imunizante da Pfizer será utilizado preferencialmente na aplicação da terceira dose contra a Covid-19 no Brasil. A orientação é do Ministério da Saúde, que anunciou na quarta-feira (25) o planejamento para a aplicação das vacinas. De forma alternativa, poderão ser usados os imunizantes de vetor viral da AstraZeneca e da Janssen.

A campanha de vacinação com a terceira dose terá início na segunda quinzena de setembro e contemplará inicialmente apenas pessoas acima de 70 anos que receberam a segunda dose há pelo menos seis meses e indivíduos imunossuprimidos que foram vacinados há 28 dias, considerando todas as vacinas disponíveis no país.

Intercambialidade de vacinas pode aumentar imunidade

Misturar vacinas contra a Covid-19 no momento da segunda ou da terceira dose pode aumentar a imunidade. É o que diz Cristiano Zerbini, coordenador do teste clínico da vacina da Pfizer no Brasil.

“Duas doses da vacina da Pfizer dão 88% de proteção contra a variante Delta, por exemplo, enquanto duas da AstraZeneca, dão 77%. Agora, se você tomar uma da AstraZeneca e depois uma da Pfizer, você vai conseguir quase que a mesma proteção da Pfizer. Essa intercambialidade é boa”, afirmou Zerbini, em entrevista à CNN.

Com informações de Tamires Vitorio e Julyanne Jucá, da CNN.

Mais Recentes da CNN