Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Brasil registra menor número de casos de Covid do ano em 24 horas

    País já soma 563.562 mortes e 20.177.757 de casos do novo coronavírus

    Aparelho que diminui sequelas da Covid-19 está disponível apenas em hospitais particulares (05.mai.2021)
    Aparelho que diminui sequelas da Covid-19 está disponível apenas em hospitais particulares (05.mai.2021) Foto: Reprodução / CNN

    Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo

    O Brasil registrou 411 mortes e 12.085 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Os dados foram atualizados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta segunda-feira (9).

    O número de novos casos apresentado nesta segunda-feira é o menor desde 9 de novembro, quando o país confirmou 10.917 novos casos da doença em 24 horas. Quanto ao número de mortes em 24 horas, o país registrou hoje o menor índice desde 8 de janeiro, quando ocorreram 867 óbitos.

    O país já soma 563.562 mortes e 20.177.757 de casos do novo coronavírus registrados desde o início da pandemia, em março de 2020. 

    A média móvel de casos ficou em 32.037, e atingiu o menor índice desde 27 de novembro de 2020, quando o número ficou em 31.169.

    Dentre os estados brasileiros, sete já ultrapassaram a marca de 1 milhão de contaminados pela doença: São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Santa Catarina e o Rio de Janeiro.

    São Paulo é o estado com mais vítimas do novo coronavírus, são 4 milhões de contaminações e 140 mil óbitos registrados. 

    Vacinação com a 1ª dose está suspensa em duas capitais

    A vacinação com a primeira dose contra a Covid-19 está suspensa em duas capitais brasileiras: Belém, no Pará, e João Pessoa, na Paraíba. Nesta-segunda-feira (9), estão sendo realizadas apenas aplicações da segunda dose nas duas cidades.

    Os municípios aguardam a chegada de novos imunizantes para dar continuidade às campanhas de vacinação. Em Florianópolis (SC), a primeira dose está sendo oferecida apenas para gestantes, lactantes e puérperas (que tiveram filhos recentemente). A aplicação da segunda dose está normalizada.

    Nas demais capitais, as campanhas de vacinação permanecem normalizadas com a aplicação das duas doses em diferentes públicos.