Sinovac prevê atualização da Coronavac para variante Ômicron em até três meses

Estudos incluem isolamento do vírus, avaliações e ensaios clínicos em diferentes faixas etárias, de acordo com vice-presidente da farmacêutica chinesa

Lucas RochaBruno LaforéCarolina Figueiredoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A farmacêutica chinesa Sinovac deve disponibilizar a atualização da vacina Coronavac contra a Covid-19, considerando a variante Ômicron, em até três meses. A informação foi dada nesta terça-feira (7), durante um simpósio realizado pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa.

De acordo com a vice-presidente da Sinovac, Yaling Hu, o primeiro passo para a atualização da vacina é isolar a nova cepa do coronavírus e fazer um teste de anticorpos neutralizantes. Depois, serão feitas avaliações e estudos clínicos em diferentes faixas etárias. A previsão é que a pesquisa seja concluída em três meses.

Segundo Yaling, a Sinovac terá capacidade para produzir de 1 a 1,5 bilhão de doses da nova geração da vacina. Ainda não há previsão de disponibilização da atualização pelo Instituto Butantan.

De acordo com o presidente do Butantan, Dimas Covas, o instituto e a Sinovac continuam criando novas vacinas, não só a segunda geração da Coronavac. “Vamos anunciar estudos com alcance de variantes”, afirmou.

O evento também contou com a participação do presidente da Sinovac, Weidong Yin. “Esperamos ainda mais colaboração com o Butantan para o desenvolvimento rápido de novas vacinas para as novas variantes, imunossuprimidos ou vacinas de reforço, e temos certeza que com essa parceria seremos capazes de enfrentar a Covid-19”, disse Yin em um comunicado.

Mais Recentes da CNN