Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Campanha de vacinação contra a poliomielite começa nesta segunda-feira (8)

    Meta do Ministério da Saúde é de alcançar 90% de cobertura vacinal contra a doença no país

    Lucas Rochada CNN

    em São Paulo

    A campanha nacional de vacinação contra a poliomielite começa nesta segunda-feira (8) e vai até o dia 9 de setembro. Cerca de 40 mil postos de vacinação estarão abertos para a aplicação da vacina contra a doença que pode causar paralisia infantil.

    O público-alvo são as crianças menores de cinco anos de idade, totalizando mais de 14,3 milhões de pessoas. A meta do Ministério da Saúde é de atingir pelo menos 90% de cobertura vacinal.

    De acordo com o ministério, crianças menores de um ano deverão ser imunizadas conforme a situação vacinal encontrada para esquema primário. As crianças de um a quatro anos deverão ser vacinadas indiscriminadamente com a Vacina Oral Poliomielite (VOP), desde que já tenham recebido as três doses de Vacina Inativada Poliomielite (VIP) do esquema básico.]

    No lançamento da campanha, realizado em São Paulo no domingo (7), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, alertou para a possibilidade de emergência da poliomielite no Brasil. O último caso da doença no país foi registrado em 1989, no estado da Paraíba.

    “Tivemos recentemente um caso de poliomielite em Nova York, nos Estados Unidos, o país mais desenvolvido do mundo. Também tivemos casos de poliomielite em Israel. Portanto, pode acontecer a poliomielite no Brasil. Embora não tenhamos uma urgência em função de casos, é urgente que consigamos recobrar as nossas coberturas vacinais”, alertou Queiroga.

    Como as campanhas de vacinação vão coincidir com a imunização contra a Covid-19 em andamento, o ministério orienta que as vacinas contra o coronavírus poderão ser administradas de maneira simultânea ou com qualquer intervalo com os demais imunizantes na população a partir de três anos de idade.

    “Temos que imunizar contra a poliomielite 15 milhões de crianças. Não é uma atribuição exclusiva do Ministério da Saúde fazer esse tipo de ação. Nós temos os programas de imunização dos estados e dos municípios que são fundamentais e imprescindíveis para que a vacina, que é um dever do estado, mas acima de tudo um direito de cada brasileiro, possa chegar a cada uma das nossas 15 milhões de crianças”, disse Queiroga.

    Cobertura vacinal

    A ampliação da cobertura vacinal tem como objetivo reforçar a proteção contra a poliomielite e outras doenças que podem ser evitadas por vacinas. A medida reduz a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e de óbitos.

    Em paralelo à vacinação contra a pólio, a campanha multivacinação acontece com a aplicação de 18 imunizantes para crianças e adolescentes.

    As vacinas disponíveis são: hepatites A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), febre amarela, tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola, varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (papilomavírus humano).

    Os adolescentes poderão receber as vacinas HPV, dT (dupla adulto), febre amarela, tríplice viral, hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).