Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Casos de coinfecção de influenza e Covid são registrados em 15 estados e no DF

    São Paulo é o estado que registrou mais infecções simultâneas até o momento, com 110 ocorrências

    Douglas PortoGiulia AlecrimGiovanna Bronzeda CNN

    em São Paulo

    Os casos de coinfecção por influenza e Covid-19, chamado de “flurona”, já foram registrados em 15 estados e no Distrito Federal segundo levantamento da Agência CNN nesta quinta-feira (6).

    As localidades que registram as infecções simultânea foram: Ceará, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Mato Grosso, Rondônia, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Alagoas, Sergipe, Minas Gerais, Pernambuco, Amazonas e Goiás.

    São Paulo tem até o momento 110 casos de coinfecção, confirmados após hospitalização. O Rio de Janeiro confirmou dois casos na capital e investiga outros 17.

    Minas Gerais tem um caso confirmado pela Prefeitura de Poço Fundo. A Secretaria Estadual da Saúde, por sua vez, não reconhece a coinfecção, e diz “que, até o dia 5/1, não há caso confirmado”, e apenas investiga seis suspeitos.

    No Rio Grande do Sul há um caso de coinfecção, em um homem de 21 anos, morador de Porto Alegre. O mesmo número foi registrado no Mato Grosso, em uma mulher de 34 anos. Já no Distrito Federal, são 26 registros de “flurona”. No Mato Grosso do Sul são seis ocorrências das doenças.

    Na Bahia são oito casos de infecção simultânea, em três municípios: Salvador, Feira de Santana e Camaçari. Os pacientes têm entre 13 e 91 anos, sendo cinco homens e três mulheres.

    No Ceará são 3 casos. Dois foram registrados em crianças de um ano de idade, que estiveram internadas sem agravamento clínico e receberam alta. O terceiro caso foi de um homem com 52 anos. Já em Pernambuco são 31 casos de coinfecção. Um idoso de 70 anos está internado em estado grave.

    No Rio Grande do Norte, até o momento, há um caso. O mesmo número foi registrado em Sergipe, em uma profissional da saúde que começou a apresentar sintomas no dia 27 de dezembro, e no dia seguinte deu entrada em hospital particular.

    O Amazonas confirmou até o momento dois casos. Rondônia tem um caso, em uma paciente de 31 anos que sentia os sintomas há seis dias antes de ser hospitalizada em estado grave e entubada.

    À CNN, o Ministério da Saúde informou que “os dados de influenza e outros vírus respiratórios são monitorados pela pasta via vigilância sentinela, onde, por amostragem semanal, são feitos diagnóstico para influenza e alguns outros vírus respiratórios, além da vigilância da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Covid-19.”