Cepa da Índia pode ser mais transmissível que a do Reino Unido, indica estudo

40 países já baniram entrada de viajantes da Índia; dados preliminares indicam maior transmissibilidade, mas sem apontar agravamento da Covid-19

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um estudo do painel de cientistas que assessora o governo britânico mostra que a cepa originária na Índia é 50% mais transmissível que a do Reino Unido. As informações são do analista de política internacional da CNN Lourival Sant’Anna

No último dia 12, os pesquisadores fizeram uma declaração de consenso, algo raro entre os cientistas, sobre os dados constatados no estudo.

No Reino Unido, a taxa de transmissão do coronavírus (taxa R) está em 1: cada pessoa contaminada transmite o vírus para uma pessoa. No entanto, a taxa da variante da Índia é 1:64, ou seja, mais de 50% de transmissão.

O dado alarma porque o Reino Unido já tem 38 milhões de pessoas imunizadas com ao menos a primeira dose da vacina, o equivalente a 56% da população.

De acordo com esse estudo, a curva da pandemia na Inglaterra deveria estar plana, encolhendo ou crescendo devagar. No entanto, nos lugares onde predomina a variante originária da Índia está havendo rápido crescimento de casos da Covid-19.

A pesquisa também aponta que atualmente há evidência insuficientes de que qualquer uma das variantes detectadas no mundo cause forma mais grave da doença ou torna as vacinas ineficazes. Os cientistas afirmam que ainda é cedo para comentar o impacto da nova cepa sobre hospitalizações e mortes no Reino Unido.

Cerca de 40 países baniram voos oriundos e/ou para a Índia, incluindo países com vacinação avançada como Estados Unidos, por exemplo.

Flexibilização no Reino Unido
Variante originária da Índia preocupa autoridades de saúde do Reino Unido
Foto: Reprodução / CNN

Mais Recentes da CNN