‘Chance de ocorrer novas mutações da Covid é enorme’, diz pesquisador da Fiocruz

Em entrevista à CNN, infectologista Julio Croda também comparou a situação do Brasil e dos Estados Unidos no combate à Covid-19 e fez um alerta

Produzido por Juliana Alves, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O pesquisador da Fiocruz Julio Croda afirmou nesta sexta-feira (14), em entrevista à CNN, que a “chance de ocorrer novas mutações da Covid-19 no Brasil é enorme”. Segundo o infectologista, um dos motivos deste risco é o ritmo lento da imunização no país.

“Nosso índice está em 7,7% da população que completou o esquema vacinal. Ainda é muito baixo para impedir a circulação viral”, disse Croda. “Enquanto 80% da população não estiver vacinada e com a pouca adesão às medidas preventivas o vírus vai continuar circulando.”

O pesquisador também ressaltou as diferenças nos números da pandemia entre o Brasil e os Estados Unidos, que, com o avanço da vacinação, já permitiu que as pessoas circulem sem máscaras em ambientes externos, por exemplo.

“A nossa situação é totalmente diferente dos Estados Unidos e nem um pouco confortável”, afirmou.

“Estamos com nove capitais sem vacina, nove estados que apresentam um aumento de número de casos e estamos entrando no inverno, que pode anteceder uma terceira onda nos estados dos Sul e Sudeste”, alertou. 

O pesquisador Julio Croda alertou para a possibilidade de novas variantes
O pesquisador da Fiocruz Julio Croda alertou para a possibilidade de novas variantes (14.mai.2021)
Foto: Reprodução / CNN

Mais Recentes da CNN