Chegada de vacina da Pfizer depende do governo, diz ex-presidente da Anvisa

Dirceu Barbano, ex-presidente da Anvisa, ressalta que o ministério ainda não fechou a compra das doses por conta de impasses em clausulas do contrato

produzido por Renata Souza, da CNN em São Paulo (supervisionada por Juliana Alves)

Ouvir notícia

Mesmo com a aprovação em definitivo da vacina da Pfizer contra a Covid-19 no Brasil, Dirceu Barbano, ex-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), disse nesta terça-feira (23) que a chegada do imunizante ao país ainda depende de negociações com o Ministério da Saúde.

“A vacina da Pfizer ainda depende de acordo com o Ministério da Saúde e a disponibilidade de vacinas da empresa. O impasse para a compra se dá pela falta de experiência do governo para lidar com esse tipo de situação”, disse Barbano em entrevista à CNN.

Sobre a discussão da não responsabilização da Pfizer em relação aos efeitos colaterais da vacina, o ex-presidente da Anvisa disse esperar “bom senso” de ambas as partes envolvidas na negociação para que o Brasil receba doses do imunizante.

“Se espera bom senso por parte da empresa e responsabilidade do governo para que esse impasse não inviabilize a chegada da única vacina com registro definitivo até agora no Brasil.”

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN