Cibercrime na Saúde: dados de todos foram comprometidos, diz especialista

Site do Ministério da Saúde sofreu ataque hacker durante a madrugada e ficou fora do ar

Anna Gabriela CostaThiago Félixda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, nesta sexta-feira (10), o presidente da Associação Brasileira de Segurança Cibernética, Hiago Kim, falou sobre o ataque hacker contra o sistema do Ministério da Saúde. Dentre as consequências da invasão, o especialista citou o comprometimento nos dados de todos os cidadãos que constavam no acesso.

Para o especialista, dados de milhões de brasileiros podem ser usados para golpes, em grande parte, voltados para crimes de cunho financeiro.

“O tipo de crime é geralmente contra fraude no sistema financeiro, crime contra o crédito, de solicitar cartão de crédito em nome das pessoas, toda a base de dados. Como foi um ataque que comprometeu o acesso ao servidor, provavelmente todos os dados de todos os cidadãos que estavam ali foram comprometidos”, afirmou Kim.

O site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br/) sofreu um ataque hacker na madrugada desta sexta-feira (10) e saiu do ar. Segundo a mensagem publicada no endereço, “dados internos dos sistemas foram copiados e excluídos”.

Todos os portais da pasta, como o “ConecteSUS” e o “Portal Covid” também foram afetados e se encontram sem possibilidade de acesso.

Hiago Kim afirmou que a população deve começar questionar sobre o que está testado e o que está seguro para todos os proprietários e gestores de estruturas, inclusive, do governo.

“Perguntar ao governo quais os testes de segurança que são feitos, quis os mecanismos que validam a segurança do sistema, a população precisa cobrar e entender. Assim como você entra em uma loja virtual hoje, você se questiona se é seguro; isso tem que acontecer também com qualquer site, inclusive os públicos”, destacou o especialista.

Mais Recentes da CNN