Cidade do Espírito Santo terá vacinação em massa com vacina da AstraZeneca

Teste será feito no próximo dia 13 no município de Viana e utilizará meia dose da vacina da Fiocruz em pessoas de 18 a 49 anos

Layane Serrano, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A cidade de Viana, no Espírito Santo, fará um teste com uma vacinação em massa em sua população no próximo dia 13. Será usada meia dose da vacina do laboratório AstraZeneca, que é produzida pela Fiocruz, em duas doses.  Ao invés de duas doses com 0,5 ml cada, com intervalos de três meses, como ocorre nos postos de saúde hoje, no teste serão duas doses com 0,25 ml, com o mesmo intervalo de tempo entre elas.

A Coronavac, produzida pelo laboratório Butantan, também fez um estudo de vacinação em massa em Serrana, no interior de São Paulo, mas com a mesma dose aplicada nos postos de saúde. Lá, resultados iniciais mostraram queda de 95% no número de mortes por Covid-19.

O anúncio sobre o teste da vacina de Oxford foi feito nesta sexta-feira (4) pelo governador do Espírito Santo, Renato Casagrande. Também participam da coletiva o secretário de Estado da saúde, Nésio Fernandes, e representantes da OPAS e Fiocruz. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que participaria da coletiva de imprensa remotamente, não esteve presente devido a agenda na Casa Civil. 

A coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), Francieli Fantinato, esteve presente como representante do Ministério da Saúde.

O objetivo do estudo é avaliar a efetividade da vacina imunizando 85% da população de Viana de 18 a 49 anos, o que contabiliza cerca de 35 mil habitantes, de acordo com o número de eleitores. A cidade foi escolhida porque é próxima da região metropolitana, além de ser um centro logístico que fica às margens da rodovia que dá acesso à Vitória, Minas Gerais e Rio de Janeiro – se tornando uma cidade com potencial forte de transmissão e contaminação. 

Segundo a médica Valéria Valim, coordenadora do projeto científico, o estudo terá como público-alvo moradores de Viana que não tomaram nenhuma das doses e que não fazem parte de grupos prioritários estabelecidos pelo Plano Nacional de Imunização (PNI). Os casos serão acompanhados por um ano.

“A população será acompanhada por um ano para observar a efetividade da vacina produzida pela Fiocruz. Queremos observar a redução de casos e de mortes por Covid-19 após a imunização, por exemplo. Baseado em estudos preliminares, esperamos que vacina em dose ajustada, ou seja, metade da dose padrão, seja suficiente para produzir anticorpos e células de defesa e reduzir 60% da incidência de Covid-19, ao longo de seis meses após a vacinação”, disse Valéria Valim.

O teste em massa está previsto para 13 de junho, em 34 pontos de vacinação, e será coordenado por equipes de pesquisadores do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes da Universidade Federal do Espírito Santo e da Fundação Oswaldo Cruz. As doses da vacina Astrazeneca Oxford/Fiocruz foram doadas pelo PNI.

Hoje, Viana conta com mais de 18 mil pessoas vacinadas com a primeira dose de vacinas e, com esse teste, será a cidade do estado do Espírito Santo com maior cobertura vacinal contra a Covid-19.

Mais Recentes da CNN