Cidade do Rio suspende uso da Coronavac com lote interditado pela Anvisa

Secretaria Municipal aguarda um posicionamento do Ministério da Saúde

Profissional da saúde prepara vacina da Coronavac contra a Covid-19 para aplicação em São Paulo
Profissional da saúde prepara vacina da Coronavac contra a Covid-19 para aplicação em São Paulo Governo do Estado de São Paulo

Mylena Guedesda CNN*

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A cidade do Rio de Janeiro suspendeu na tarde deste sábado (4) a utilização do lote 202108113H da vacina Coronavac de forma preventiva, por orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A informação foi anunciada pelo secretário municipal de saúde, Daniel Soranz, em rede social. Segundo ele, a secretaria aguarda o posicionamento do Ministério da Saúde.

Neste sábado, segundo a secretaria, 1.206 pessoas foram vacinadas com a remessa e qualquer reação adversa deve ser comunicada à unidade de saúde que aplicou a dose. De acordo Daniel Soranz, neste momento, não há indicação de revacinar essas pessoas

Em nota, o Instituto Butantan, afirma que as doses têm eficácia contra o vírus e são seguras para a população. O Instituo ressalta, ainda, que a medida da Anvisa não deve causar alarmismo.

“O Butantan encaminhou à Anvisa há 15 dias toda a documentação necessária para a certificação do processo de produção em que foram feitas essas doses. Por isso, tem convicção que ela será concedida em breve. Caso necessário, pode complementar a solicitação com mais dados, inclusive da Sinovac, caso a agência julgue necessário”, diz um trecho da nota.

A proibição da distribuição do lote foi comunicada hoje pela Anvisa. Segundo a agência, a medida cautelar foi tomada porque os lotes envasados na fábrica na China, não têm Autorização de Uso Emergencial (AUE). A unidade fabril responsável pelo envase não foi inspecionada e não foi aprovada pela Anvisa na Autorização de Uso Emergencial.

O Instituto Butantan informou ainda que outros 17 lotes, totalizando 9 milhões de doses, também envasados no local não inspecionado pela Agência, estão em tramitação de envio e liberação ao Brasil.

A Anvisa ressalta que as medidas cautelares não são decisões condenatórias em caráter punitivo, mas sim medidas sanitárias para evitar a exposição ao consumo e ao uso de produtos irregulares ou sob suspeita.

As medidas cautelares também são um ato de precaução que tem como objetivo proteger a saúde da população.

Listagem dos lotes impactados 

Lotes já distribuídos (12.113.934 doses)   

IB: 202107101H, 202107102H, 202107103H, 202107104H, 202108108H, 202108109H, 202108110H, 202108111H, 202108112H, 202108113H, 202108114H, 202108115H, 202108116H e L202106038.  

SES/SP: J202106025, J202106029, J202106030, J202106031, J202106032, J202106033, H202106042, H202106043, H202106044, J202106039, L202106048.   

Lotes em tramitação de envio e liberação ao Brasil (9 milhões doses)

IB: 202108116H, 202108117H, 202108125H, 202108126H, 202108127H, 202108128H, 202108129H, 202108168H, 202108169H, 202108170H, 2021081701K, 202108130H, 202108131H, 202108171K, 202108132H, 202108133H, 202108134H   

*Sob supervisão de Isabelle Resende

Mais Recentes da CNN