Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com atraso de insumo, Butantan adia entrega de 4 milhões de doses da Coronavac

    Previsão é que 42 milhões de doses serão disponibilizadas ao Ministério da Saúde até sexta-feira (30); restante será entregue na próxima semana

    Murillo Ferrari e Tainá Falcão, da CNN, em São Paulo

    O Instituto Butantan confirmou nesta quarta-feira (28) que atrasará o cumprimento do contrato para fornecer 46 milhões de doses da Coronavac ao Ministério da Saúde até o fim de abril.

    Ao contrário do previsto no acordo assinado com o governo federal, serão disponibilizadas 42 milhões de doses da vacina contra Covid-19 ao Plano Nacional de Imunização (PNI) até a sexta-feira (30).

    “De fato, houve um pequeno atraso. Deveríamos entregar 46 milhões de doses até o dia 30 e estamos entregando, até sexta-feira, 42 milhões e o restante na próxima semana”, disse o diretor do Butantan, Dimas Covas, em entrevista coletiva.

    Ele afirmou que está em contato com a farmacêutica chinesa Sinovac, responsável pelo fornecimento do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) usado na produção da Coronavac, para ampliar a próxima remessa de insumos ao país.

    “Trabalhamos com a Sinovac para que o lote de 3 mil [litros de IFA] chegue ainda na primeira quinzena de maio e estamos pedindo, além disso, a possibilidade de virem 6 mil litros para adiantarmos o que tínhamos planejado de entregas para o ministério para o contrato de 54 milhões de doses”, continuou.

    Covas afirmou que o Butantan tem se esforçado para trazer o máximo de vacinas para o país e considerou injusto o que considerou serem tentativas de culpar o instituto pelo atraso da vacinação no país.

    “Isso não é justo. O Butantan, neste momento, está mantendo de pé o programa nacional de imunização. Esperamos que haja reconhecimento e não críticas em relação a isso.”

    Também presente na entrevista, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que o objetivo não era criticar, mas lembrou que a entrega do imunizante produzido pela AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) já sofreu oito atrasos na entrega de doses.

    Caixa com doses da Coronavac, vacina contra Covid-19
    Por atraso no recebimento de insumo, Butantan não entregará todas as doses da Coronavac previstas para abril
    Foto: Amanda Perobelli – 22.jan.2021/Reuters

    “O Butantan teve um [atraso] e nenhuma redução do número de doses. Nessas oito alterações [da Fiocruz], cinco tiveram redução do número de doses [entregues]”, disse o governador.

    “O Butantan está cumprindo seu dever, sua obrigação de entrega da vacina. Repito, não quero aqui desmerecer a Fiocruz e nem a AstraZeneca, mas os problemas não estão aqui”, completou.

    “E se o governo [federal] parar de falar mal da China, da vacina da China e dos chineses, também vai dar uma boa ajuda para que tenhamos os insumos entregues dentro do prazo.”