Conass e Comissão da Covid-19 na Câmara cobram mais doses de vacina para o RJ

Órgãos apontam distribuição desproporcional dos imunizantes para os estados; há preocupação que campanha de imunização volta a ser interrompida

Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro
Vacinação contra Covid-19 em Magé, Rio de Janeiro Foto: Pilar Olivares/Reuters (7.abr.2021)

Iuri Corsini, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O coordenador da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 na Câmara, o deputado federal Dr. Luizinho (PP-RJ) se reuniu com membros do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) para articular a distribuição de mais doses aos estados diante do aumento considerável da circulação da variante Delta, em especial no Rio de Janeiro. Há uma preocupação também em evitar uma nova paralisação da campanha de imunização contra a Covid-19 e por distribuição desigual de vacinas.  

Segundo Dr. Luizinho, não está havendo equidade na distribuição de doses entre os estados. Em São Paulo, o governador João Dória (PSDB) alega ter recebido metade dos lotes destinados ao estado da vacina Pfizer, o que corresponde a 228 mil doses a menos. Segundo o coordenador da comissão, o Rio Grande do Sul, por exemplo, recebeu, proporcionalmente, mais doses do que o Rio de Janeiro. 

“Identificamos que há uma diferença de distribuição de doses entre os estados. Nossos esforços são para equalizar essa diferença e garantir que todos os estados recebam doses de vacina de forma igualitária. Descobrimos que no Rio Grande do Sul só falta receber, por exemplo, 34% das suas primeiras doses, enquanto que no Rio de Janeiro falta receber 45%”, informa o deputado.

A reunião foi realizada em Brasília e contou com a presença do secretário executivo do Conass, Dr. Jurandi Frutuoso e técnicos do conselho. Dr. Luizinho, que também é presidente da Comissão de Seguridade Social e Família, afirmou, em publicação em sua rede social, que seu temor está atrelado à linhagem originária da Índia.

“Hoje, nossa maior preocupação é com a variante Delta, que se espalha rapidamente por todo o País, principalmente, no Rio de Janeiro. Precisamos sanar essa questão. Só com a vacinação garantida para 100% da população adulta de todos os estados, é que vamos conseguir vencer essa guerra”, publicou.

O encontro do deputado com membros do Conass ocorreu na quinta-feira (05), logo após o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), ter procurado o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), para garantir doses de vacinas contra a Covid-19 para o estado do Rio, conforme noticiado pela CNN, na última quarta-feira (4).

Segundo o analista da CNN, Leandro Resende, Castro solicitou que Lira garanta que, caso o governo federal mude a regra de distribuição de vacinas contra a Covid-19 e favoreça o Rio, o Legislativo não atue para barrar a mudança e assegure as doses para o estado.

Após a conversa entre Castro e Lira, ficou definido que Dr. Luizinho (PP), que esteve cotado para substituir o general Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, seria o escolhido para atuar na interlocução entre o Rio de Janeiro, o Ministério da Saúde e representantes de outros estados. 

A CNN procurou o Ministério da Saúde para entender as razões da alegada diferença de distribuição de doses entre os estados, e como a pasta pretende atuar para garantir que não haja nova interrupção no calendário de vacinação no estado. “O Ministério da Saúde informa que haverá uma compensação gradual dos quantitativos de vacinas enviados de modo complementar, a fim de que todos os estados finalizem o processo de imunização sem que haja benefícios ou prejuízos a suas respectivas populações”, respondeu a pasta em nota.

Conforme último boletim emitido pelo Ministério da Saúde, mais de 43% dos casos identificados da variante Delta no país estão no estado do Rio. São 465 casos confirmados no Brasil, sendo 203 apenas no Rio de Janeiro.

Mais Recentes da CNN