Correspondente Médico: A parte do cérebro responsável pelo fanatismo

Neurocirurgião Fernando Gomes explica como age a mente de quem se torna fanático por algo

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Correspondente Médico desta quinta-feira (7), o neurocirurgião Fernando Gomes explica qual parte do cérebro é responsável pelo fanatismo, que gera cenas como as vistas na quarta-feira (6) quando apoiadores do presidente americano, Donald Trump, interromperam uma sessão do congresso e invadiram o Capitólio, o que gerou bastante confusão e mortes.

“Existe uma parte do cérebro onde nossa consciência existe e transita, os lobos frontais. Existem diversas habilidades mentais relacionadas a essa região, uma delas é o controle inibitório. Em uma pessoa fanática ou que tenha tendência ao fanatismo muito grande, a pessoa sabe o que é certo ou errado mas, quando tem um comportamento puxando para um lado só, com uma certeza muito grande e sem freio, é preocupante”, explica.

Leia também
O que acontece com o cérebro durante ataques de raiva
Como organizar a mente para realizar os planos de 2021
Cirurgia cerebral contribuiu para a morte de Maradona?

“A gente vê isso na política, na religião, no futebol. Num caso como esse (nos EUA), o ambiente, a circunstância e tudo o que foi oferecido influencia muito mais que a tendência genética. Não é que a pessoa tenha uma agressividade embutida, pessoas são alimentadas com esse tipo de validação de comportamento e acaba estimulando. Quando outras pessoas, parceiros ou pessoas próximas validam ou acrescentam um ato, aquilo faz sentido”, continua.

O neurocirurgião Fernando Gomes no quadro Correspondente Médico (07.jan.2021)
O neurocirurgião Fernando Gomes no quadro Correspondente Médico (07.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN