Correspondente Médico: Qual a temperatura máxima que o corpo pode aguentar?

De acordo com o médico Fernando Gomes, pessoas com problemas cardíacos podem ter alterações adicionais por conta do calor

Ouvir notícia

Em meio à onda de calor recorde em várias capitais do Brasil, o neurocientista Fernando Gomes explica se existe uma temperatura máxima que o corpo humano consegue aguentar e dá dicas para evitar o cansaço causado pelos dias quentes. 

“A partir dos 40° ou 42°, existe uma tendência de que as proteínas podem se desnaturar, então pode ter alteração definitiva, inclusive com prejuízo para a manutenção da vida”, esclarece ele no quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, desta sexta-feira (2).

O médico acrescenta que algumas pessoas já se arriscaram a se expor a temperaturas extremas, mas frisou que isso não é saudável ou recomendável.

“Existem relatos de pessoas que conseguiram ficar em ambientes com mais de 100 graus por até 15 minutos, mas a gente não recomenda que alguém tente fazer o teste”, disse.

Leia e assista também:
Calor pode aumentar riscos de contágio da Covid-19?
Cúpula de calor: temperaturas podem chegar a 45,5ºC no país; entenda o fenômeno
Calor recorde pede mais atenção e cuidados com crianças, idosos e pets

Correspondente Médico: o neurocientista Fernando Gomes fala sobre calor
Correspondente Médico: o neurocientista Fernando Gomes fala sobre calor
Foto: CNN (2.out.2020)

Os efeitos da exposição a altas temperaturas podem ser mais intensos em pessoas com problemas de saúde. “Acaba evoluindo para febre, por exemplo, e pode causar convulsão e outras alterações extremamente preocupantes”, alerta.

De acordo com Gomes, pessoas com problemas cardíacos podem ter alterações adicionais. 

“Isso porque acaba interferindo em todo o volume de sangue que passa pelo coração e pelos vasos sanguíneos, o que pode precipitar problemas graves, com a formação de trombos e a existência de infarto agudo do miocárdio e outras”, afirma.

Cansaço no calor?

Um clássico dos dias com sol intenso e tempo seco, o cansaço por conta do calor é comum e pode levar a uma sensação de irritação e até moleza – uma espécie de preguiça térmica.

Para aliviar essas sensações, o médico dá três dicas. Beber água para manter o corpo hidratado, evitar exercícios físicos em horários com a temperatura mais alta e optar por uma alimentação mais leve, para evitar a sensação de se sentir pesado – que se intensifica no calor.

Se o ventilador ou o ar-condicionado não derem conta das noites escaldantes, ele indica deixar o ambiente mais úmido e, se possível, dormir um pouco mais tarde que o habitual – quando a temperatura pode ter baixado.

(Edição: André Rigue)

Mais Recentes da CNN